Brazil enters the US election game

Photo: Jason Leysner/AFP

In 18/9/2020 the United States Secretary of State, Mike Pompeo, made a quick visit to Brazil. Given the importance of the position, an important agenda was expected between the governments of the United States and Brazil. But the reality was quite different: the Brazilian government opened the doors of the territory so that the Secretary could campaign politically for the re-election of the current President Donald Trump.

The visit took place in Brasilia, where all protocols required for a United States Secretary could be properly implemented (equivalent to a minister, No brazil). It also did not serve to exchange intentions or even sign cooperation agreements. It was an unusual visit to Roraima. Why?

Para compreender melhor a visita é preciso entender o que está acontecendo nas eleições norte-americanas. A Flórida é um dos estados que têm se mostrado como decisivos nas eleições e está sendo alvo de especial atenção dos candidatos. No momento os candidatos Trump e Biden estão tecnicamente empatados pela busca dos 29 votos equivalentes ao colégio eleitoral do estado.

A comunidade venezuelana no estado é muito grande e influente. Resultado: quem conquistar a agenda desta comunidade pode alcançar também uma boa influência sobre os eleitores de origem latina.

Os venezuelanos da Flórida são contrários ao presidente Nicolás Maduro e defendem uma atuação mais forte do governo norte-americano para sua retirada do poder. É neste contexto que o Secretário Pompeo visita Roraima, reforçando o apoio dos Estados Unidos à democracia e, por consequência, contra movimentações de Maduro para se fortalecer no poder.

Não bastando a visita ser de caráter claramente eleitoral, contou ainda com a presença do chanceler brasileiro Ernesto Araújo. Like this, o que poderia ter sido apenas um movimento eleitoral de outro país, utilizando de uma visita internacional, ficou ainda maior, ao contar com o endosso da chancelaria brasileira.

Seria algo estranho em si, mas ao olharmos a atual política externa brasileira em relação aos Estados Unidos fica clara a estratégia de apoiar o que vem de lá independente de interesses do próprio Brasil.

Website | + posts

Post-Doctorate in Territorial Competitiveness and Creative Industries, by Dinâmia - Center for the Study of Socioeconomic Change, of the Higher Institute of Labor and Enterprise Sciences (ISCTE, Lisboa, Portugal). PhD in International Relations from the University of Brasília (2007), Master in Political Science from the University of São Paulo (2001) and Bachelor of International Relations from the Pontifical Catholic University of São Paulo (1998). He is currently the Head of International Office of ESPM.