ISSN 2674-8053

EU threat to halt the export of vaccines to the UK in an attempt to move forward with its own immunization campaign

President of the European Commission, Ursula von der Leyen 17 March 2021. (John Thys, Pool via AP)

With the start of vaccination against COVID-19, the first diplomatic friction between the EU and the United Kingdom after Brexit. One month after the completion of the agreement that sealed the UK's exit from the bloc, both fight a vaccine war against COVID-19, creating tension in a process of rebuilding their bilateral relations, in addition to risking delaying global efforts to combat the health crisis.

Due to the agility of the British authorities in approving immunization agents and signing contracts with suppliers, the United Kingdom was the second state to start vaccinating its population in the world, second only to Russia, por isso possui um positivo contraste em relação ao bloco econômico do qual já foi membro, onde as assinaturas com as fabricantes tardaram e a corrida contra o vírus caminha a passos lentos.

No cerne do problema, estão os atrasos de produção nas vacinas Pfizer-BionTech e da AstraZeneca-Oxford, o que levou a UE anunciar medidas burocráticas de exportação para as vacinas feitas em seu território com o intuito de priorizar a população local, o que deve afetar a campanha de imunização do Reino Unido, já que as doses que compraram da Pfizer vêm de fábricas na Bélgica. Além das medidas burocráticas, ameaças de interromper totalmente as exportações de vacinas foram feitas em um pronunciamento da Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, in day 23 March. In contrast, em uma entrevista ao jornal Italiano La Reppublica, o diretor executivo da empresa, Pascal Soriot, disse que nunca prometeu entregar as vacinas ao bloco europeu com a mesma rapidez que fez com o Reino Unido, já que o último assinou o contrato três meses antes.

Tal vantagem britânica na corrida pela imunização inclusive contribuiu no fortalecimento da opinião pública favorável ao Brexit e na forma com a qual o governo britânico conduziu a vacinação da população. Uma pesquisa da Ipsos MORI mostrou que dois terços (67 por cento) dos britânicos acreditam que o Reino Unido lidou com o programa de vacinação COVID-19 melhor do que os governos de países da UE. Dois quintos (40 por cento) dos britânicos acreditam que o Brexit melhorou a resposta da Grã-Bretanha à pandemia COVID-19.

Isso remete a um cenário no qual o sentimento de nacionalismo renasce com força na Europa, em que disputas ideológicas e políticas no cenário internacional se sobrepõem à saúde pública. In this way, podendo gerar severas consequências, como atrasos na produção de vacinas e prejuízos às nações pobres, afetando toda uma cadeia de vacinação global.

Essa “guerra por vacinas” conseguiu expor um vácuo de poder e falta liderança na Europa. On the other hand, essa situação serviu para o Reino Unido finalmente testar sua capacidade de se destacar internacionalmente no enfrentamento de desafios globais e de demonstrar a relevância e possível superioridade que terá na condução de agendas internacionais que necessitam de cooperação depois de estar de fora da União Europeia.

References:

MATTHEWS, Owen. Britain’s Been Hammered by Brexit, but It Got the Vaccine Right. Foreign Policy. Available in: <https://foreignpolicy.com/2021/02/01/britain-post-brexit-rocky-european-union-covid-vaccine/>. Access in: 10 Apr. 2021.

The Brexit vaccine war is a failure of empathy. LSE BREXIT. Available in: <https://blogs.lse.ac.uk/brexit/2021/03/24/the-brexit-vaccine-war-is-a-failure-of-empathy/>. Access in: 10 Apr. 2021.

UE e Reino Unido travam batalha por vacinas, aumentando tensões no pós-Brexit. Or Balloon. Available in: <https://oglobo.globo.com/mundo/ue-reino-unido-travam-batalha-por-vacinas-aumentando-tensoes-no-pos-brexit-1-24857230>.

UK’s Remainers question love for EU amid vaccine row. POLITICO. Available in: <https://www.politico.eu/article/remainers-brexit-uk-eu-coronavirus-vaccine-row/>. Access in: 10 Apr. 2021

Authors: Ana Carolina Olmedo e Pedro Soares, NENE/ESPM researchers.

+ posts

The European Studies and Business Center (NENE) is linked to the Brazilian Center for International Business Studies & Corporate Diplomacy (CBENI) from ESPM-SP. It was created considering the need to stimulate the Brazilian and Latin American academic community to better understand their relations with Europeans, seeking to understand and deepen the Brazil-European Union Strategic Partnership.