ISSN 2674-8053

European Union and the reform of the Common Agricultural Policy

Bartz/Stockmar (CC BY-SA 4.0)

The Common Agricultural Policy (PAC), created in 1962, is a set of measures aimed at supporting European farmers, an improvement in the productivity of the agricultural sector, and a contribution to the fight against climate change. All these points encompass a common thought of sustainable management and economic development with a focus on the agricultural sector. Consequently, the PAC also seeks to promote jobs in the agricultural sector and its related. It is a policy that involves all the countries of the European Union, managed and financed by the bloc's budgetary resources.

 At first, it can be said that the CAP is a policy that has evolved over the years in order to respond to economic instabilities and the demands and needs of citizens. Besides that, visa apoiar uma minoria importante da comunidade europeia, what, no case, são os agricultores, os quais conseguem desempenhar sua função social sendo reconhecidos por seu papel tão relevante. In addition, pontos cruciais para o desenvolvimento sustentável, social e econômico da União Europeia são o que regem o funcionamento da PAC. Dentre esses pontos podemos ressaltar: livre troca de produtos, nível comum de preços, solidariedade financeira e preferência por produtos comunitários. Os dois primeiros pontos evidenciam a questão da unidade do mercado agrícola, a partir do momento em que há existência de regras comuns de gestão, preços comuns e uma preocupação com as fronteiras europeias. O princípio da solidariedade financeira está vinculado com a solidariedade das diversas regiões da UE e permite o funcionamento do sistema de política agrícola comum. Lastly, o princípio de preferência comunitária visa a proteção dos agricultores europeus contra importações provenientes do mercado mundial a preços mais baixos.

A reforma da PAC, conhecida como Reforma Ciolos, começou a ser discutida no ano de 2009, em que os maiores pontos a serem discutidos seriam: a redução do orçamento previamente estabelecido, uma aposta na diversidade agrícola, e uma política que tivesse em vista uma luta contra as mudanças climáticas. Tal reforma foi aprovada em 2013, período em que a União Europeia atravessava uma grave crise monetária e necessitava de corte de gastos, e um dos cortes estabelecidos foi a diminuição do orçamento instituído à política em questão. Houve uma redução orçamental de 42,6 bilhões de euros para o período de 2014 a 2020 na atuação da nova reforma da PAC. Em decorrência da diminuição do orçamento, é inviável que a mesma possa atender todas as demandas e necessidades do setor agrário e do meio rural europeu, com isso, muitos argumentam que a PAC deixou de se preocupar fundamentalmente com a agropecuária para priorizar aspectos econômicos.

currently, como sucessão dos fatos apresentados anteriormente, está em vigor um regulamento de transição, que estabelece as condições que regem a concessão de apoio no quadro do FEAGA (Fundo Europeu de Garantia Agrícola) e do FEADER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Rural) durante os anos de 2014 e 2020, assegurando, thus, uma transição agradável a todos os envolvidos e a planos futuros. Com a aprovação do novo quadro, as novas propostas devem ser implementadas em todos os países da União Europeia, a partir de janeiro de 2023.

Em síntese, a União Europeia é um grande ator no cenário internacional, uma figura economicamente poderosa e exemplar, e pontos como preservação ambiental, atenção às minorias e autossuficiência compõem o panorama de um bloco desenvolvido. Therefore, mantendo em vista o desenvolvimento dos países envolvidos e atendendo todos os stakeholders expostos, a PAC não deve cair em descaso.

REFERENCES

UNIÃO EUROPEIA . A política agrícola comum. Available in: https://ec.europa.eu/info/food-farming-fisheries/key-policies/common-agricultural-policy/cap-glance_pt#contributingtothecap. Access in: 11 Apr. 2021.

Moyano-Estrada, EduardoOrtega, Antonio César et al. A Reforma da PAC para o Período 2014-2020: uma aposta no desenvolvimento territorial. Revista de Economia e Sociologia Rural, [S.L], v. 52, n. 4, p. 687-704, dez. 2014.

Authors: Francesca Abduch e Giovanna Bruno, NENE/ESPM researchers.

+ posts

The European Studies and Business Center (NENE) is linked to the Brazilian Center for International Business Studies & Corporate Diplomacy (CBENI) from ESPM-SP. It was created considering the need to stimulate the Brazilian and Latin American academic community to better understand their relations with Europeans, seeking to understand and deepen the Brazil-European Union Strategic Partnership.