ISSN 2674-8053

Retrospectiva de Angela Merkel perante as eleições da República Federal Alemã de 2021

Angela Merkel (Reuters)

Há muito se discute sobre as novas eleições que estão previstas a ocorrer na Alemanha, no segundo semestre de 2021. Com o fim do mandato de Angela Merkel, que completou 12 anos como Chanceler da Alemanha, a preocupação com os resultados das novas eleições é cada vez maior no cenário político internacional contemporâneo. Nascida em Hamburgo em 1954, a líder alemã iniciou sua carreira no mundo da política em 1989 entrando no movimento Despertar Democrático, que durou até a reunificação da Alemanha Ocidental com a Alemanha Oriental em 1990. Merkel está no meio político até a atualidade. Entretanto, ela atingiu o seu maior nível de reconhecimento e poder apenas quando assumiu o cargo de chanceler da Alemanha pelo CDU, no ano de 2005.

Angela Merkel é filiada aos partidos da União Social Cristã (CDU) e da União Social Cristã da Baviera (CSU), os quais possuem áreas de atuação voltadas a políticas liberais. Com o crescimento de partidos de extrema direita, como consequência de movimentos xenófobos e nacionalistas no cenário político alemão, surgiram diversas políticas imigratórias de caráter liberal, que permitiram a entrada de centenas de milhares de imigrantes e refugiados no país. Ademais, existe uma preocupação por parte da população e do congresso de que a segurança nacional possa ser fortemente afetada.

Vale ressaltar as estimativas que apontam o grande espaço que o Partido Verde Alemão vem tomando com relação às pesquisas eleitorais. Sua influência cresce cada vez mais, principalmente por conta das propostas pautadas pelo partido, que focam em aspectos ambientais e de desenvolvimento sustentável, gerando certa simpatia por parte dos eleitores, cujas preocupações estão voltadas para aspectos de preservação natural.

Como uma das mais influentes mulheres atuantes na política, Merkel tornou-se um símbolo da luta pela igualdade feminina no cenário político, embora ela não tenha abordado durante sua administração temas relativos ao assunto em questão. O desenvolvimento e liderança da Alemanha frente ao atual contexto da União Europeia apenas reforça a importância da Chanceler na política internacional. A Federação Alemã é um dos países mais prósperos da Europa, e mesmo após ter se envolvido diretamente em duas guerras mundiais e sofrido os impactos da Guerra Fria, além de ser dividida em duas nações por 45 anos, a Alemanha cresce economicamente, o que confere ao país destaque dentro da UE.

Em geral, a CDU, sob liderança de Merkel, manteve os princípios liberais e social-democratas da Alemanha, apesar de limitações de sua administração nas políticas migratórias e progressistas de partidos de esquerda em suas coligações. Mesmo após várias crises econômicas e com a atual crise migratória europeia, a Alemanha ainda se mantém relativamente estável e é considerada como a líder da União Europeia. O futuro é incerto, porém, com Armin Laschet, atual ministro do Estado da Renânia, sendo apontado como líder da CDU, sua capacidade de manter estável a liderança germânica é imprecisa.

REFERÊNCIAS

O Globo. “Alemanha passa a considerar a ultradireita como principal ameaça à segurança nacional”. 4 de maio de 2021. Disponível: https://oglobo.globo.com/mundo/alemanha-passa-considerar-ultradireita-como-principal-ameaca-seguranca-nacional-25002682 Acesso em: 14 de maio de 2021

Deutsche Welle.  “Partido Verde alemão mantém favoritismo para suceder Merkel”. 08 de maio de 2021. Disponível em.

https://www.dw.com/pt-br/partido-verde-alem%C3%A3o-mant%C3%A9m-favoritismo-para-suceder-merkel/a-57468351. Acesso em: 14 de maio de 2021

BBC. “Merkel says German multicultural society has failed”. 17 de outubro de 2010. Disponível em: https://www.bbc.com/news/world-europe-11559451 Acesso em: 14 de maio de 2021

MEYERS-BELKIN, Haxie. “Germany’s CDU backs Armin Laschet as Merkel’s successor.” 20 de Abril de 2021. Disponível em:

https://www.france24.com/en/europe/20210420-germany-s-cdu-backs-armin-laschet-as-merkel-s-successor Acesso em: 15 de maio de 2021

Autores: Priscila Cesarino e Thomas Bauer Corsaro

+ posts

O Núcleo de Estudos e Negócios Europeus (NENE) está ligado ao Centro Brasileiro de Estudos de Negócios Internacionais & Diplomacia Corporativa (CBENI) da ESPM-SP. Foi criado considerando a necessidade de estimular a comunidade acadêmica brasileira e latino-americana a compreender melhor suas relações com os europeus, buscando compreender e aprofundar a Parceria Estratégica Brasil – União Europeia.