Américas

Clash of Civilizations: os EUA, a RPC, a campanha “Stop Asian hate” e o tal do Jacaré…
Américas, Ásia, China, Estados Unidos

Clash of Civilizations: os EUA, a RPC, a campanha “Stop Asian hate” e o tal do Jacaré…

Protestantes na manifestação nacional Stop Asian Hate, em 27/03/2021 (Foto de Axel Koester) No último dia 17/03, um homem branco entrou em uma área de casas de massagem em Atlanta, nos Estados Unidos, e matou oito pessoas, seis delas mulheres descendentes de chineses e coreanos. No Reino Unido, no começo de março, um professor chinês de 37 anos foi espancado por quatro homens brancos que o xingaram de "vírus chinês". O aumento do preconceito e do ódio contra a comunidade asiática pode ser atribuído à disseminação de “fake news” que circulam desde o começo da pandemia, atribuindo aos asiáticos a proliferação do vírus, identificando-os como os únicos responsáveis pela doença, que, como sabemos, originou em Wuhan, na China. Para combater o espraiamento do preconceito nos EUA, um grupo ...
Eleições no Peru e Democracia na América Latina
Américas, Peru

Eleições no Peru e Democracia na América Latina

Candidatos à presidência do Peru: Pedro Castillo e Keiko Fujimori O Peru passará, no dia 6 de junho de 2021 por um segundo turno de uma eleição presidencial muito polarizada. De um lado, temos Keiko Fujimori, filha do ex-ditador Alberto Fujimori, de outro, o candidato de extrema esquerda Pedro Casillo. Curiosamente, o primeiro turno não foi de grande polarização eleitoral, tendo Castillo obtido apenas 19% dos votos enquanto Fujimori alcançou meros 13%. Ou seja, 68% dos eleitores preferiram outros candidatos. Deveremos observar então uma polarização induzida pelas instituições, no caso, a regra eleitoral. Dois candidatos em posições muito distantes no espectro econômico farão campanha para convencer uma massa central de eleitores que não achavam suas propostas as melhores logo de saí...
A volta de Trump à presidência em 2024
Américas, Estados Unidos

A volta de Trump à presidência em 2024

Presidente Donald Trump em agosto de 2019; Manchester, New Hampshire. (Staff Photo By Matt Stone/MediaNews Group/Boston Herald) O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, está de volta ao jogo político. Tudo indica que veio para ficar e possivelmente recuperar a presidência dos EUA em 2024. A distância até as próximas eleições presidenciais é grande, mas já é possível antever que Trump deverá sair vitorioso naquelas eleições. Trump acaba de lançar novamente sua loja online, na plataforma do Partido Republicando, WinRed. São vendidos produtos cotidianos, como bonés, camisetas e canecas. Além da tradicional mensagem “Make America Great Again” (Torne os Estados Unidos grandes de novo), um novo slogan mostra a estratégia que será seguida: “Don’t Blame Me I Voted for Trump” (não me culpe, ...
Fim(?) da guerra no Afeganistão
Afeganistão, Américas, Ásia, Estados Unidos, Organizações Internacionais, OTAN

Fim(?) da guerra no Afeganistão

Sefa Karacan/Anadolu Agency via Getty Images O Estadão de hoje replica matéria do New York Times segundo a qual o Presidente Joe Biden declarou ontem, 14/04, o fim da presença das tropas dos Estados Unidos no Afeganistão, encerrando o engajamento de vinte anos dos EUA na luta pela pacificação do país e desmantelamento da militância talibã, que já lhes custou mais de US $ 800 bilhões e a vida de 2.218 militares. Segundo o anúncio, os últimos 2,5 mil soldados americanos deixarão o Afeganistão até o dia 11 de setembro, data simbólica, aliás, quando se celebram os vinte anos da invasão ordenada por George W. Bush. Biden afirmou que “sou o quarto presidente a chefiar a presença de tropas no Afeganistão. Dois republicanos. Dois democratas...não vou passar essa responsabilidade para um quinto...
Como os britânicos veem seu papel no mundo em 2030 – e como estão se preparando para exercê-lo
África, Américas, Argentina, Ásia, China, Europa, Nigéria, ONU, OTAN, Reino Unido

Como os britânicos veem seu papel no mundo em 2030 – e como estão se preparando para exercê-lo

O Reino Unido acaba de divulgar um documento cuja leitura considero muito importante, fundamental mesmo, para quem se dispõe a compreender o jogo que as grandes potências estão a disputar na arena internacional. Nele, são apresentadas as revisões das políticas integradas de defesa e segurança, relações internacionais e desenvolvimento da Grã-Bretanha [1]. O documento tem, na introdução, a visão do Primeiro-Ministro Boris Johnson para o Reino Unido no ano de 2030. Em resumo, trata-se de uma visão otimista sobre o papel de seu país no mundo, que enxerga o Reino Unido como uma das mais influentes nações do planeta, com uma economia forte e que, em razão da ênfase na adoção de inovações científicas e tecnológicas, estará mais bem equipada para enfrentar um mundo ainda mais competi...
A arrogância do Ocidente e a ascensão da China
Américas, Ásia, China, Estados Unidos, Europa, Organizações Internacionais, União Europeia

A arrogância do Ocidente e a ascensão da China

Do latim progressus, vem a palavra progresso indica avanço, mudança de algo para melhor em relação ao passado. Ainda que a ideia seja antiga, os contornos que apresenta hoje foram forjados no Iluminismo, alcançando sua “automaticidade” com a Revolução Industrial. Assim, hoje nos acostumamos com a ideia de que hoje estamos numa condição melhor do que ontem e que continuaremos a avançar. Em si a proposta não é descabida, mas carrega o risco de nos tornarmos arrogantes, acreditando que hoje vivemos o que há de melhor (para uma leitura mais filosófica dessa perspectiva indico a leitura de A Rebelião das Massas, de Jose de Ortega Y Gasset). Especialmente em função das tecnologias, temos provas concretas de que estamos no momento de maior avanço na história da Humanidad...
Interesses brasileiros nos Estados Unidos ameaçados pela política ambiental do governo Bolsonaro
Américas, Brasil, Estados Unidos

Interesses brasileiros nos Estados Unidos ameaçados pela política ambiental do governo Bolsonaro

Floresta Amazônica (área de Pirititi) (Felipe Werneck/Ibama via AP) No retorno dos Estados Unidos à agenda climática internacional, Biden convidou 40 líderes mundiais, incluindo o presidente brasileiro, para um encontro virtual durante as comemorações do Dia da Terra nos dias 22 e 23 de abril, um marco para a COP26 que acontecerá em novembro em Glasgow. Uma de suas metas é assegurar o compromisso das principais economias do mundo para reduzir as emissões dessa década e manter o limite de aquecimento de 1,5 graus Celsius. Ainda não há confirmação sobre a presença do Presidente Bolsonaro nesse evento. A importância da agenda ambiental internacional para administração Biden evidencia-se, entre outras coisas, pelo peso político do seu enviado especial para o clima, o ex-secretário de es...
O tabuleiro geopolítico: EUA x RPC < Oriente Médio
Américas, Ásia, China, Estados Unidos, Oriente Médio

O tabuleiro geopolítico: EUA x RPC < Oriente Médio

Presidente chinês Xi Jinping (direita) e Presidente iraniano Hassan Rouhani em 2016 (AP Photo/Ebrahim Noroozi). A matéria que o Estadão publicou no dia 28/03 – “China investirá no Irã US$ 400 bi em troca de petróleo” – levanta mais um tema importante na disputa entre chineses e americanos pela hegemonia mundial. Desta feita é o Oriente Médio o foco, região particularmente sensível do planeta, como sabemos. Segundo o artigo, o acordo que foi firmado pelo Chanceler chinês, Wang Yi, e seu contraparte iraniano, Javad Zarif, durante a recente visita que Wang fez a Teerã, prevê investimentos chineses em “uma dezena de setores, incluindo bancos, telecomunicações, portos, ferrovias, saúde e tecnologia da informação... A China concordou em investir US$ 400 bilhões (R$ 2,3 trilhões) no Irã du...
<span lang ="en">Brazil’s oil problem</span>
Américas, Ásia, Brasil, Coréia do Sul, Estados Unidos

O problema do petróleo do brasil

How the current pandemics and recent tendencies could shape the future of oil generation towards low-carbon clean energy substitutes in Brazil? Taking into consideration the rising and volatile prices of oil in the current uncertain scenario promoted by the COVID-19 pandemics, the experienced supply shock caused by industry lockdowns as well as a fragilized reputation of the Brazilian government, the proposed analysis consists in the elaboration of three scenarios around the strategy aim. In a year where the world, despite suffering from the pandemics, committed a record $501.3bi to decarbonization, in which companies, governments and households invested $303.5bi in new renewable energy capacity (BloombergNEF, 2021), the importance of considering the low-carbon energy transition...
O fim de um governo que não começou
Américas, Brasil

O fim de um governo que não começou

Presidente Jair Bolsonaro A memória na política é curta, até porque a política é a arte da paixão, e as paixões são efêmeras. Dada a complexidade das sociedades contemporâneas, os cidadãos não têm tempo, competência ou mesmo desejo para se engajar em todas as discussões que passam pela política, e o resultado disso é que queremos encontrar políticos que nos apresente uma visão de mundo que compreendemos e gostamos, simplificando toda a complexidade e nos fazendo acreditar que o mundo é simples.  Em 2018, o então candidato Jair Bolsonaro conseguiu apaixonar 57,8 milhões de eleitores brasileiros. Uma pequena parcela desses eleitores conhecia as propostas difusas de Bolsonaro, uma grande maioria via no capitão reformado uma chance de não ter mais o PT no governo. Por mais que tenh...