ISSN 2674-8053 | Receba as atualizações dos artigos no Telegram: https://t.me/mapamundiorg

Organizações Internacionais

Governança global em transição: os desafios e oportunidades das novas estruturas internacionais
Banco Mundial, BRICS, FMI, G20, G7, G77, ONU, Organizações Internacionais

Governança global em transição: os desafios e oportunidades das novas estruturas internacionais

As estruturas de governança global são elementos cruciais na administração dos assuntos internacionais, assegurando a cooperação entre nações em áreas como economia, segurança, meio ambiente e direitos humanos. A história dessas estruturas remonta ao sistema de Bretton Woods, estabelecido em 1944, que instituiu instituições como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, com o objetivo de reconstruir e estabilizar a economia global após a Segunda Guerra Mundial. A Organização das Nações Unidas (ONU) também emergiu nesse período, servindo como plataforma para a diplomacia multilateral. No entanto, essas instituições clássicas enfrentam críticas crescentes devido à sua capacidade limitada de responder aos desafios contemporâneos. Crises econômicas recorrentes, mudanças ...
A interdependência econômica como pilar da estabilidade e paz internacionais
África, África do Sul, Américas, Ásia, Banco Mundial, Brasil, China, Estados Unidos, FMI, Japão, ONU, Organizações Internacionais

A interdependência econômica como pilar da estabilidade e paz internacionais

A interdependência econômica global emergiu como um dos principais pilares da estabilidade internacional nas últimas décadas. Este fenômeno, caracterizado pelo intenso fluxo de bens, serviços, capitais e informações entre países, tem sido amplamente reconhecido por promover a paz ao criar incentivos para a cooperação e reduzir os riscos de conflitos armados. A interdependência econômica, no entanto, enfrenta desafios significativos no cenário contemporâneo, levantando preocupações sobre a sua sustentabilidade e os possíveis impactos na paz mundial. Historicamente, a interdependência econômica se intensificou após a Segunda Guerra Mundial, com a criação de instituições internacionais como a ONU, o FMI e o Banco Mundial, que promoveram a cooperação econômica e a liberalização do comé...
A tensão acumulada no cenário internacional atual: estamos à beira de uma terceira guerra mundial?
Américas, Ásia, China, Estados Unidos, Etiópia, Europa, Índia, Irã, Israel, ONU, Organizações Internacionais, Oriente Médio, República Centro-Africana, Rússia, Ucrânia

A tensão acumulada no cenário internacional atual: estamos à beira de uma terceira guerra mundial?

O cenário internacional contemporâneo está marcado por tensões crescentes que despertam preocupações sobre a possibilidade de um conflito global de grandes proporções, similar à Primeira e à Segunda Guerra Mundial. Para entender se estamos realmente à beira de uma terceira guerra mundial, é essencial traçar paralelos históricos e identificar padrões que possam indicar a repetição de ciclos destrutivos. Entre esses padrões, destacam-se o aumento da xenofobia e as tensões geopolíticas, que hoje se manifestam em diversas partes do mundo. Durante a Primeira Guerra Mundial, a Europa estava imersa em uma rede de alianças complexas e conflitos de interesses nacionais, que culminaram no assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando em 1914 e a subsequente declaração de guerra. De maneira ...
A nova Assembleia Parlamentar da OEA: desafios para a autonomia brasileira frente à influência dos EUA
Américas, Brasil, Estados Unidos, OEA, Organizações Internacionais

A nova Assembleia Parlamentar da OEA: desafios para a autonomia brasileira frente à influência dos EUA

A Organização dos Estados Americanos (OEA) tem desempenhado um papel significativo na política hemisférica desde sua fundação em 1948. A organização, que visa promover a democracia, os direitos humanos, a segurança e o desenvolvimento na região, frequentemente se vê sob a influência dominante dos Estados Unidos. Este artigo examina a resolução GRS 3004 de 2023, que propõe a criação de uma estrutura legislativa semelhante à Assembleia Parlamentar da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), e como essa iniciativa pode impactar a autonomia dos países latino-americanos, com um foco especial no Brasil. A resolução GRS 3004 de 2023 visa o fortalecimento da democracia na região, propondo a criação de uma assembleia parlamentar no âmbito da OEA. Essa estrutura legislativ...
BRICS Bridge: uma alternativa na arquitetura financeira global
BRICS, Organizações Internacionais

BRICS Bridge: uma alternativa na arquitetura financeira global

O BRICS Bridge, um projeto desenvolvido pelos países membros do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), surge como uma alternativa inovadora e importante na arquitetura financeira global. Este consórcio, que se consolidou como um bloco significativo no cenário econômico mundial, busca criar novas oportunidades para seus membros e para outras nações em desenvolvimento, desafiando a hegemonia financeira tradicionalmente dominada pelo Ocidente. Uma das principais razões para a importância do BRICS Bridge é a promoção da liberdade de atuação internacional para os países membros. Através desta iniciativa, os países do BRICS conseguem diversificar suas opções financeiras, reduzindo a dependência de instituições financeiras ocidentais como o Fundo Monetário Internacional (FM...
Reforma da ONU: entre a necessidade de modernização e a busca pela hegemonia
Américas, Brasil, Europa, Israel, ONU, Organizações Internacionais, Oriente Médio, Palestina, Rússia, Ucrânia

Reforma da ONU: entre a necessidade de modernização e a busca pela hegemonia

A Organização das Nações Unidas (ONU), criada no rescaldo da Segunda Guerra Mundial, tem sido um marco na cooperação internacional e na busca por paz e segurança globais. Contudo, o mundo mudou drasticamente desde 1945, apresentando novos desafios geopolíticos, econômicos e ambientais. Diante dessas transformações, surge um clamor crescente pela reforma das instituições e mecanismos da ONU, visando uma adequação às novas realidades mundiais. A reforma é necessária não apenas para tornar a organização mais representativa e eficaz, mas também para garantir que possa enfrentar questões contemporâneas complexas, desde conflitos regionais até mudanças climáticas. No entanto, o caminho para a reforma é minado por interesses geopolíticos, onde as propostas de países como Estados Unidos e ...
Desafios e oportunidades: a essencial cooperação entre os países do BRICS
África, África do Sul, Américas, Ásia, Brasil, BRICS, China, Europa, Índia, Organizações Internacionais, Rússia

Desafios e oportunidades: a essencial cooperação entre os países do BRICS

A importância da cooperação entre os países do BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – tem sido um tema recorrente nas discussões econômicas e políticas internacionais. Este artigo se aprofunda na necessidade de expandir a interação entre os membros nas esferas comercial, econômica, financeira e monetária, utilizando citações explícitas de jornais dos países envolvidos, para destacar os possíveis ganhos dessa aproximação. Segundo o "China Daily", a China vê no BRICS uma plataforma vital para a promoção de um multilateralismo genuíno e a reforma da governança global. A cooperação entre essas economias emergentes é vista como um contraponto ao unilateralismo e à proteção econômica predominantes no Ocidente. Isso reflete a visão chinesa de que o fortalecimento dos laços...
Envolvimento do Sul Global na guerra entre Rússia e Ucrânia: um desvio prejudicial
Américas, Europa, Rússia, Sul Global, Ucrânia

Envolvimento do Sul Global na guerra entre Rússia e Ucrânia: um desvio prejudicial

O envolvimento do Sul Global na guerra entre Rússia e Ucrânia traz à tona uma série de questões que vão além do mero posicionamento geopolítico. Esta participação, muitas vezes involuntária, acaba por afastar essas nações de seus objetivos primordiais de desenvolvimento, mergulhando-as em um mar de controvérsias e acusações que obscurecem as reais necessidades de suas populações. O ataque ao avião militar russo Il-76, por exemplo, serve como uma metáfora para a complexidade e as sombras que envolvem o papel dos países do Sul Global neste conflito. Informações desencontradas e a falta de transparência dominam o cenário, onde a verdadeira história por trás de tais incidentes permanece velada, alimentando um jogo de acusações que só serve para intensificar tensões internacionais. A...
Supremacia monetária: o controle dos EUA e Europa sobre o sistema financeiro global
Américas, Cuba, Estados Unidos, Europa, Irã, Organizações Internacionais, Oriente Médio, Rússia, União Europeia, Venezuela

Supremacia monetária: o controle dos EUA e Europa sobre o sistema financeiro global

A dominância do sistema monetário e financeiro internacional pelos Estados Unidos e pela Europa constitui uma das mais significativas manifestações de poder no cenário mundial contemporâneo. Este artigo explora como essa hegemonia conjunta tem sido empregada como uma arma econômica contra países que desafiam os interesses ocidentais, ilustrando os impactos dessa dinâmica através de exemplos concretos como Cuba, Rússia, Irã e Venezuela. Em Cuba, a prolongada imposição de sanções pelos EUA, com apoio tácito de aliados europeus, sublinha a capacidade do Ocidente de isolar economicamente um país. O embargo, reforçado por medidas financeiras internacionais, não apenas restringe severamente a economia cubana, mas também sua habilidade de operar dentro do sistema financeiro global, eviden...
Segurança da informação e a nova geopolítica do ciberespaço: desafios e oportunidades para o Brasil
Américas, Brasil, Organizações Internacionais, Sul Global

Segurança da informação e a nova geopolítica do ciberespaço: desafios e oportunidades para o Brasil

No cenário global contemporâneo, o ciberespaço emergiu como um domínio de importância crítica, moldando não apenas relações interpessoais mas, crucialmente, as interações geopolíticas e geoeconômicas. A segurança da informação, uma vez relegada aos bastidores técnicos, hoje ocupa o centro do palco nas discussões sobre soberania nacional, desenvolvimento econômico e diplomacia. A necessidade de uma governança global para o ciberespaço é, portanto, um imperativo que não pode mais ser ignorado, sobretudo pelo Brasil, um ator crescente no tabuleiro internacional. A transformação digital global não conhece fronteiras; os dados cruzam continentes em milissegundos. Neste contexto, incidentes de segurança cibernética têm potencial para causar disrupções em larga escala, afetando desde infr...