ISSN 2674-8053

A relação entre França e Islã continua conflituosa

Protestantes denunciando o presidente Emmanuel Macron em Srinagar

Autores Beatriz Canazzo Santáguita e Pedro Henrique de Castro Gonçalves

Uma sucessão de ataques terroristas por grupos radicais islâmicos continua acontecendo na França, o país que possui a maior população na Europa de origem muçulmana. Após a morte do professor Samuel Paty, o Presidente da França, Emmanuel Macron, planeja um plano de ação contra o radicalismo islâmico, prevendo em seus discursos a contenção dessa ideologia radical pelo fato da religião estar acima da democracia e não coincidir com os valores do país.

Em resposta a Macron, ocorreu no final de outubro um ataque à faca na Basílica de Notre-Dame em Nice, ocorrendo a morte de 3 pessoas, dentre elas uma brasileira. Durante o ocorrido, foi afirmado que o suspeito, em que foi baleado durante a ação, dizia  “Allahu Akbar” (Deus é grande); sendo assim, o governo francês classificou o ataque como de cunho “terrorista islâmico” e ainda reforça que suas medidas contra o grupo vão continuar, no qual o classifica como inimigo do Estado.

Tratando-se de um aspecto internacional, os países de origem islâmica vêm criticando as ações tomada pelo Estado, gerando assim uma onda de protestos por exemplo no Catar, Irã e Paquistão, estreitando assim as relações comerciais, principalmente na Turquia na qual a rivalidade está aumentando entre as duas nações e ambos estão pedindo para não consumirem produtos dos respectivos países, o que pode trazer grandes impactos na economia visto que os produtos franceses estão entre os 10 mais vendidos na Turquia, sendo a principal mercadoria os automóveis. Porém, esse histórico de tensão entre os dois não começou agora. Essas discordâncias já aconteceram em questões geopolíticas como a Síria, a Líbia e a jurisdição do mar Mediterrâneo, demonstrando anteriormente uma instabilidade nessas relações.

Sendo assim, pode-se dizer que as medidas tomadas pelo Estado podem ter como consequência um impacto negativo para a França se tratando de relações entre os outros países, principalmente comerciais; além disso, a segurança vem sendo comprometida cada vez mais devido a essas sucessões de acontecimentos e o descontentamento da população islâmica que reside no país.

Referências:

ELPAIS. Plano de Macron contra o islã radical desata uma onda de protestos em países muçulmanos. Disponível em: https://brasil.elpais.com/internacional/2020-10-27/plano-de-macron-contra-o-isla-radical-desata-uma-onda-de-protestos-em-paises-muculmanos.html. Acesso em: 22 nov. 2020.

GLOBO. Ataque a faca deixa 3 mortos em Nice, na França; 1 vítima foi decapitada. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/10/29/ataque-a-faca-deixa-mortos-em-nice-na-franca.ghtml. Acesso em: 22 nov. 2020.

GLOBO. Presidente da Turquia pede a seus cidadãos que boicotem produtos da França. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/10/26/presidente-da-turquia-pede-a-seus-cidadaos-um-boicote-de-produtos-da-franca.ghtml. Acesso em: 22 nov. 2020.

OGLOBO. Um dia após ataque em Nice, governo francês diz estar em guerra contra ‘ideologia islamista’ Segundo família, respo. Disponível em: https://oglobo.globo.com/mundo/um-dia-apos-ataque-em-nice-governo-frances-diz-estar-em-guerra-contra-ideologia-islamista-1-24720382. Acesso em: 22 nov. 2020.

+ posts

O Núcleo de Estudos e Negócios Europeus (NENE) está ligado ao Centro Brasileiro de Estudos de Negócios Internacionais & Diplomacia Corporativa (CBENI) da ESPM-SP. Foi criado considerando a necessidade de estimular a comunidade acadêmica brasileira e latino-americana a compreender melhor suas relações com os europeus, buscando compreender e aprofundar a Parceria Estratégica Brasil – União Europeia.