ISSN 2674-8053

A volta de Trump à presidência em 2024

Presidente Donald Trump em agosto de 2019; Manchester, New Hampshire. (Staff Photo By Matt Stone/MediaNews Group/Boston Herald)

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, está de volta ao jogo político. Tudo indica que veio para ficar e possivelmente recuperar a presidência dos EUA em 2024. A distância até as próximas eleições presidenciais é grande, mas já é possível antever que Trump deverá sair vitorioso naquelas eleições.

Trump acaba de lançar novamente sua loja online, na plataforma do Partido Republicando, WinRed. São vendidos produtos cotidianos, como bonés, camisetas e canecas. Além da tradicional mensagem “Make America Great Again” (Torne os Estados Unidos grandes de novo), um novo slogan mostra a estratégia que será seguida: “Don’t Blame Me I Voted for Trump” (não me culpe, eu votei no Trump).

Nos Estados Unidos existe o Comitê de Ação Política (political action committee – PAC), que são organizações que podem receber recursos para promover ações políticas, como campanhas, eventos e doações para candidatos. As vendas de Trump vão para o PAC “Save America” (Salve a América). Nesse momento o Save America tem aproximadamente 85 milhões de dólares, e continuará a juntar dinheiro. Além do dinheiro arrecadado, é uma importante ação para manter o engajamento de seus eleitores mais leais. Não se deve esquecer que Trump teve quase 75 milhões de voto, numa eleição muito apertada em termos de votos.

Além de se mostrar um grande captador de recursos, Trump tem conseguido usar seu poder captador para aumentar ainda mais o controle sobre o Partido Republicando. Recentemente ele começou a defender que os doadores devem fazer suas doações ao Save America e não diretamente ao Partido Republicando. Defende que essa seria a única forma de garantir que apenas os candidatos alinhados a sua visão teriam apoio, fortalecendo ainda mais a defesa da agenda e dos valores sociais de Trump.

O resultado disto é um Partido Republicando cada vez mais unido em torno de uma única visão de mundo. A perseguição interna, inclusive, já começou. Deputados e Senadores que não foram apoiadores explícitos de Trump durante sua presidência, agora são perseguidos dentro do próprio partido.

A estratégia de Trump é sofisticada e baseada em diferentes etapas. O próximo grande passo será dado em 2022, quando os Estados Unidos passarão pelas chamadas eleições de meio do mandato (mid-term elections). Serão eleitos todos os 435 deputados federais, além de 34 senadores (de um total de 100). O objetivo de Trump é fazer com o que o Partido Republicano recupere a maioria na Câmara e no Senado, preferencialmente com políticos radicalmente convergentes com a visão de Trump. Isso garantiria o apoio necessário para que Trump pudesse ter um início de mandato em 2024 com a sustentação política necessária para avançar com suas agendas.

Enquanto o governo Biden mostra limitações importantes em sua capacidade de atuação, sem conseguir avançar em suas principais agendas por conta da obstrução feita pelos Republicandos, Trump está reorientando seus apoiadores em torno de um discurso unificado. Muitos desafios ainda estão por vir e poderão mudar radicalmente o que ocorrerá nas eleições de 2024, mas, se nada mais drástico ocorrer, Trump voltará a ser o presidente dos Estados Unidos em 2024. Mudar isso está menos sob o controle dos Democratas e mais dependente da capacidade de Trump em manter seu discurso com apelos emocionais, engajando apoiadores mais radicais e apaixonados.

Website | + posts

Pós-Doutor em Competitividade Territorial e Indústrias Criativas, pelo Dinâmia – Centro de Estudos da Mudança Socioeconómica, do Instituto Superior de Ciencias do Trabalho e da Empresa (ISCTE, Lisboa, Portugal). Doutor em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (2007). É Diretor Executivo do Mapa Mundi.