ISSN 2674-8053

O que é o America First?

Ilustração de Eleanor Shakespeare paraTIME

Ao longo da história dos Estados Unidos é possível perceber um movimento pendular em torno do eixo Isolacionismo-Intervencionismo. Recentemente há uma tendência de buscar analisar de forma antecipada a política externa dos presidentes dos EUA em função do partido político e sua pretensa ligação com um dos extremos deste eixo (Republicanos com o isolacionismo e Democratas com o intervencionismo). Proponho uma análise que entende esses movimentos de forma mais alongada, baseado em eras.

Para entender essa leitura, a primeira pergunta que devemos nos colocar é: o que significa a expressão America First e de onde ela vem?

A expressão America First (“Primeiro os Estados Unidos”, numa tradução livre) remonta ao presidente Thomas Jefferson (terceiro presidente dos EUA, governando entre 1801 e 1809) , quando promulgou a Lei do Embargo de 1807 (https://govtrackus.s3.amazonaws.com/legislink/pdf/stat/2/STATUTE-2-Pg451b.pdf) . Essa lei substituiu a legislação do ano anterior que buscava restringir as importações, foi uma tentativa de dificultar importação de produtos de alguns países, especialmente focado na Inglaterra e na França. Ainda que seus objetivos tenham sido fracassados, claramente colocava a ideia de que os Estados Unidos deveriam pensar primeiro em si mesmos.

Em linhas gerais, o America First é uma política que coloca o nacionalismo e o isolacionismo como uma base para políticas públicas. Dentre as várias possíveis ações políticas a serem desenvolvidas sob inspiração do America First estão embargos comerciais, boicote ou mesmo retirada de organizações internacionais e, potencialmente, o uso da força militar, política e econômica de forma a fazer com que os Estados Unidos mantenham sua liderança no mundo.

Os slogans utilizados pelos presidentes dos Estados Unidos são muito importantes como indicativos de seus macro-objetivos. A tabela a seguir apresenta alguns slogans que foram adotados em campanhas pelos candidatos vencedores.

AnoPresidentePartidoSlogan
2000George W. BushRepublicanoCompassionate Conservatism
2004George W. BushRepublicanoA safe world and a more hopeful America
2008Barack ObamaDemocrataYes we can
2012Barack ObamaDemocrataForward
2016Donald TrumpRepublicanoMake America great again
2020Joe BidenDemocrataRestore the soul of the Nation

Ao se analisar os slogans dos presidentes dos EUA o que se percebe é uma busca pela centralidade dos Estados Unidos e seu “destino manifesto”. Ainda que a dimensão internacional só tenha sido explicitada no segundo mandato do governo Bush, uma análise mais cuidadosa dos demais slogans mostra como a cultura política do país é baseada na ideia de um país forte e importante no mundo.

Ainda que o governo Trump tenha explicitado, mais do que os demais, que os Estados Unidos devem ser o centro para o qual as demais nações devem convergir, é possível perceber essa mesma tendência nos demais.

Atualmente, sob o governo Biden, já se percebe o quanto essa tendência deverá continuar. Ao contrário do que era indicado por alguns analistas, a política externa do governo Biden não deverá ser utópico-multilateralista. Não se trata de buscar agendas relevantes para a Humanidade, independente dos custos que recairão sobre cada país, incluindo os próprios Estados Unidos. Mais do que isso, a questão é a utilização do sistema multilateral como forma de aumentar a capacidade de influência dos Estados Unidos sobre a política internacional. O America First continuará sua lógica no governo Biden, talvez até ganhando contornos até mais pronunciados do que aqueles existentes no governo Trump.

Website | + posts

Pós-Doutor em Competitividade Territorial e Indústrias Criativas, pelo Dinâmia – Centro de Estudos da Mudança Socioeconómica, do Instituto Superior de Ciencias do Trabalho e da Empresa (ISCTE, Lisboa, Portugal). Doutor em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (2007). É Diretor Executivo do Mapa Mundi.