ISSN 2674-8053

The need to integrate Brazil into regional agendas: the case of CELAC

In 1983 Colombia, Mexico, Panama and Venezuela created a forum to mediate armed conflicts in Central America. At the time, the need for them to create forums for direct dialogue became clear., without the intermediation of other countries, if they really wanted to overcome the conflicts. It became known as the Contadora Group. (name of the island of Panama on which the meeting took place).

In 1985 Argentina, Brazil, Peru and Uruguay joined the group and, created the Permanent Mechanism for Political Consultation and Conciliation in Latin America and the Caribbean, also known as the Rio Group. The Rio Group is not an international organization per se, insofar as it does not have a secretariat responsible for implementing and monitoring the proposals. No entanto é um importante espaço para a concertação diplomática, especialmente em momentos de crises.

In 2010, durante a C√ļpula da Unidade da Am√©rica Latina e do Caribe, foi criada a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC). Trata-se de um bloco regional composto por 33 pa√≠ses da regi√£o e que tem uma rela√ß√£o direta com os esfor√ßos anteriores, that is, √© mais um importante espa√ßo para a concerta√ß√£o diplom√°tica (and politics) sem que haja a interfer√™ncia de outros pa√≠ses.

Al√©m de tem√°ticas t√©cnicas (como educa√ß√£o, energy, infraestrutura e transporte), √© um importante espa√ßo para o encaminhamento de quest√Ķes pol√≠ticas, tanto de √Ęmbito regional como mundial. J√° foram emitidos pronunciamentos sobre temas globais como desarmamento nuclear e mudan√ßa do clima e temas regionais como a quest√£o das Ilhas Malvinas ou o bloqueio comercial a Cuba.

Al√©m de ser um espa√ßo privilegiado para a constru√ß√£o de agendas a partir dos interesses da regi√£o, o CELAC tamb√©m mantem constante di√°logo com outros blocos e representa√ß√Ķes internacionais. O que se percebe √© que h√° uma evolu√ß√£o ao longo destas d√©cadas nos f√≥runs de di√°logo entre os pa√≠ses da regi√£o, tanto em termos de quantidade de pa√≠ses participantes, quanto de amplitude das agendas encaminhadas.

In January 2020 o Brasil suspendeu sua participa√ß√£o na CELAC. Em nota, o Minist√©rio de Rela√ß√Ķes Exteriores informou que ‚Äún√£o considera estarem dadas as condi√ß√Ķes para a atua√ß√£o da Celac no atual contexto de crise regional‚ÄĚ. Informalmente o desconforto do governo se dava em rela√ß√£o a participa√ß√£o de Cuba e Venezuela no grupo.

Dada a relev√Ęncia do Brasil para a regi√£o, seu afastamento deste grupo enfraquece seu papel de construtor e moldador das agendas internacionais da regi√£o. Ao mesmo tempo em que a CELAC perde, o Brasil tamb√©m perde, s√≥ que ainda mais. Se o Brasil realmente quer se afirmar como l√≠der regional √© preciso entender que (1) as ideologias de governo n√£o devem ser o principal quesito para selecionamentos com quem queremos interagir internacionalmente e (2) o poder brasileiro n√£o √© suficiente para afirmar o pa√≠s como uma pot√™ncia regional sem que sejam utilizados os f√≥runs adequados para encaminhamentos de projetos de colabora√ß√£o.

Apenas para ficarmos num exemplo de como isso √© importante, √© poss√≠vel pegar a agenda dos pagamentos intra-Estados. Normalmente s√£o usadas algumas moedas para fazer as media√ß√Ķes das transa√ß√Ķes comerciais internacionais (geralmente o d√≥lar e o euro). Essa forma de transacionar leva √† depend√™ncia das condi√ß√Ķes que marcam essas moedas, o que acaba por afetar a pr√≥pria capacidade comercial. No Mercosul, for example, foi desenvolvido um mecanismo para que os pagamentos internacionais entre os pa√≠ses do bloco sejam feitos com moedas locais. O mesmo poderia ser feito num √Ęmbito ampliado, envolvendo outros pa√≠ses da Am√©rica do Sul e do Caribe. For this, √© preciso que a CELAC, ou qualquer outra organiza√ß√£o do mesmo g√™nero, seja empoderada.

Like this, mais do que posicionamentos ideológicos, precisamos de posicionamentos reais que ajudem o Brasil a desenvolver um papel mais significativo na construção da agenda regional.

Rodrigo Cintra
Post-Doctorate in Territorial Competitiveness and Creative Industries, by Din√Ęmia - Center for the Study of Socioeconomic Change, of the Higher Institute of Labor and Enterprise Sciences (ISCTE, Lisboa, Portugal). PhD in International Relations from the University of Bras√≠lia (2007). He is Executive Director of Mapa Mundi. ORCID https://orcid.org/0000-0003-1484-395X