ISSN 2674-8053

Suécia

Aquisição de caças Gripen suecos pela FAB e sua relevância para o Brasil
Américas, Europa, Suécia

Aquisição de caças Gripen suecos pela FAB e sua relevância para o Brasil

Artigo elaborado por Karen Andersson e Laura Rossi Os aviões-caça F-39E Gripen, adquiridos pela Força Aérea Brasileira (FAB), desenvolvidos pela empresa sueca Saab, chegaram ao Brasil no último mês de abril (2022). As aeronaves foram transportadas através de um navio cargueiro holandês e recebidas no país com um evento de comemoração e integração das aeronaves à Aviação de Caça brasileira, contando com a presença do presidente Jair Bolsonaro. A compra desses novos caças tem como objetivo reequipar a frota aeronáutica do país e aumentar a capacidade operacional da FAB, já que os antigos caças norte-americanos F-5, antes utilizados pelo Brasil, são da década de 1980. O processo de obtenção dos aviões perdura desde 2014, quando o governo brasileiro comprou a frota sueca por US $4,0...
A Finlândia e a Suécia na OTAN
Europa, Finlândia, Organizações Internacionais, OTAN, Suécia

A Finlândia e a Suécia na OTAN

REUTERS/Dado Ruvic/Illustration O presidente da Rússia, Vladimir Putin, sempre deixou bastante claro que a principal razão para a invasão da Ucrânia era a ameaça que a possível adesão daquele país à OTAN representava para a segurança da Rússia. A forte objeção não se deve, apenas, ao fato de ser a Ucrânia um país intimamente ligado à Rússia, com raízes históricas comuns, que estaria se afastando da órbita de influência russa em direção à Aliança Ocidental e à União Europeia. Mas, principalmente, sempre segundo a linha de raciocínio do presidente Putin, tratar-se-ia de mais um passo da contínua expansão da OTAN em direção às fronteiras russas. Afinal, as antigas ex-repúblicas soviéticas, Letônia, Estônia e Lituânia, além dos antigos aliados do Pacto de Varsóvia, Polônia, Bulgária, Ro...
Consumo Sustentável
Dinamarca, Europa, Organizações Internacionais, Suécia, União Europeia

Consumo Sustentável

Artigo elaborado por Karen Andersson e Laura Rossi O consumo sustentável pode ser definido como as ações direcionadas às práticas de consumo ecologicamente responsáveis, e carrega consigo alternativas para que não se gerem impactos negativos ao meio ambiente, seja através da geração de resíduos ou devido a emissão de gases poluentes durante todo o ciclo de vida de um produto, desde o processo de produção até o consumo. Deve-se pensar no consumo sustentável a partir das necessidades mais básicas do ser humano, como se alimentar, beber água limpa e se vestir, levando em conta que até essas práticas ainda maximizam o uso dos recursos naturais e materiais tóxicos, que são nocivos tanto à natureza e ao planeta, quanto à nossa própria saúde. Sendo assim, o consumo sustentável visa a util...
Volta da esquerda ao poder nos países nórdicos
Dinamarca, Europa, Finlândia, Islândia, Noruega, Suécia

Volta da esquerda ao poder nos países nórdicos

Jonas Gahr Støre, líder do Partido Trabalhista da Noruega - esquerda assume o poder Por Karen Andersson & Laura Rossi Em uma nova sintonia política, os 5 países nórdicos (Noruega, Suécia, Finlândia, Islândia e Dinamarca) estão alinhados com a volta da esquerda ao poder após quase 60 anos. No começo do último mês de setembro, a Noruega, até então sendo o único país escandinavo liderado por um governo conservador, elegeu Jonas Gahr Støre, líder do partido trabalhista, para o cargo de primeiro-ministro. Støre direcionou sua campanha e seu discurso às “pessoas comuns”, o que encantou a população. Este encanto pode ser visto nos números, que mostraram um recorde de mais de 1,6 milhão de noruegueses registrando seu voto (não obrigatório no país), representando assim 42,3% do eleitorad...
O (Des)Caso dos refugiados: uma questão humanitária e europeia.
Alemanha, Europa, Grécia, Hungria, Oriente Médio, Polônia, República Checa, Suécia

O (Des)Caso dos refugiados: uma questão humanitária e europeia.

Incêndio no campo de refugiados Moria, na Grécia. (Foto ANSA) Autores: Ana Reis e Otávio Rauen No dia 09 de setembro, um incêndio na ilha grega de Lesbos, no Campo de Refugiados de Moria, incitou a realocação em massa das 13.000 pessoas oriundas majoritariamente de zonas de conflito no Oriente Médio. O ocorrido teve início depois de um protesto no campo gerado pela rígida quarentena imposta após a detecção de casos de COVID-19 (El País, 2020). Após isso, em 16 de setembro, seis jovens afegãos com menos de 20 anos foram acusados pelas autoridades gregas por terem envolvimento no acontecimento (Estadão, 2020). As condições humanitárias dentro do campo de Moria eram extremamente precárias: superlotação, insalubridade, falta de água, ausência de saneamento básico e outros fatores qu...