China

Brasil perde espaço para China na América do Sul
Américas, Argentina, Ásia, Brasil, China

Brasil perde espaço para China na América do Sul

Presidentes Jair Bolsonaro (Brasil) e Xi JinPing (China) O Brasil é um país com tamanho desproporcional em relação a seus vizinhos, especialmente em termos econômicos. O resultado disto é que o país acaba desempenhando "naturalmente" uma força gravitacional, fazendo com que os demais países sul-americanos acabem tendo suas economias muito dependentes com a economia brasileira. Essa condição não era diferente nem mesmo quando considerávamos a outra grande economia da região: Argentina. Historicamente os argetinos tinham no Brasil o maior destino de suas exportações. Em setembro e outubro de 2019 a China ocupou essa primazia, sendo o principal destino das exportações argentinas. Foi por uma diferença pequena e durou só esses dois meses, o que parecia ser algo transitório. Mas a rea...
As relações cada vez mais tensas entre EUA e China
Américas, Ásia, China, Estados Unidos

As relações cada vez mais tensas entre EUA e China

China anunciou, no último dia 24 de julho, a ordem para que os Estados Unidos fechassem o consulado do país em Chengdu, importante cidade com cerca de 4,6 milhões de habitantes. Foi uma retaliação ao fechamento, pelos EUA, do consulado chinês em Houston. Na véspera, o Secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo, em visita Yorba Linda, California, havia discursado[1] usando uma dura retórica contra o partido comunista chinês o os governantes daquele país. Ironicamente, o local do discurso foi a cidade natal de Richard Nixon, o presidente norte-americano responsável pela reaproximação dos EUA com a China na década de 1970. Assim, os dois países sobem mais um degrau na escalada de tensões que tem caracterizado as relações entre Washington e Beijing, especialmente nos últimos dois...
América Latina e BRICS: para onde o Brasil deve olhar
Américas, Brasil, BRICS, China, Estados Unidos

América Latina e BRICS: para onde o Brasil deve olhar

A política externa brasileira atual tem ocorrido erraticamente. Ainda que se defenda que ela busca novos alinhamentos, a verdade é que não tem uma linha clara, baseada na busca pelos interesses do país. Mas nem tudo é culpa da atual direção que é impressa à política externa, o mundo tem mudado e colocado novos desafios. Há muito a polaridade estruturante da Guerra Fria acabou. Desde então o mundo vem passando por importantes movimentos de reorganização das forças, forçando os Estados a buscarem posicionamentos políticos que lhes ofereçam mais retornos. Nos últimos 10 anos, em particular, essa busca por reordenamento do sistema internacional ficou ainda mais confusa. Hoje o dito sistema multilateral está mostrando limites cada vez maiores, ao mesmo tempo em que vemos algumas potências i...
Memorial do claustro:… Qual o futuro de Hong Kong?
China

Memorial do claustro:… Qual o futuro de Hong Kong?

Foto Wikimedia Commons A opinião pública internacional tem estado muito mobilizada nestes últimos tempos pelos enfrentamentos entre a população de Hong Kong e o governo da Região Administrativa Especial/RAE - “preposto” de Pequim - a respeito do estatuto da cidade/ilha. O artigo do Estadão de hoje – “Perigosa Mensagem” - que aborda os embates entre os manifestantes e as autoridades do Conselho Administrativo da Hong Kong a respeito do “status” da Região Administrativa Especial, tocou no “foco da ferida” ao afirmar que... “ao romper uma cláusula basilar de devolução, a China pode satisfazer seus impulsos imperialistas. Mas transmite ao mundo uma perigosa mensagem: não é um país confiável”. Muito se tem comentado ultimamente a respeito deste mais recente capítulo da ‘saga libertária” ...
Autoritarismo: a faca de dois gumes do Sudeste Asiático
Ásia, Bangladesh, Brunei, Camboja, China, Filipinas, Indonésia, Japão, Laos, Malásia, Myanmar, Singapura, Tailândia, Vietnam

Autoritarismo: a faca de dois gumes do Sudeste Asiático

PAD Demonstration. Sukhumvit Road. Bangkok. 20th October 2008. A palavra diversidade pode definir o Sudeste Asiático. São tantos dialetos, etnias, povos e religiões em apenas 4.100.000 km², que se torna consenso a singularidade da região e de todo o subcontinente. A China de Mao Zedong, é um padrão que se repete atualmente no Sudeste Asiático, quando o governo autoritário deu os primeiros passos para erradicar a miséria e homogeneizar a população criando os esteios da China contemporânea. O processo foi impulsionado por Deng Xiaoping, em 1979, ao iniciar o a abertura do país para o mundo. Como um espelho, o sudeste asiático, marcado por países tão culturalmente diferentes vem convergindo em um padrão intrigante: democracias frágeis, governos autoritários e o desenvolvimento geral da...
China e Índia, ou o Dilema do Espelho
China, Índia

China e Índia, ou o Dilema do Espelho

Primeiro Ministro Narendra Modi (Índia) e Presidente Xi Jinping (China) Todos os que somos dos tempos do filme “A Branca de Neve e o Sete Anões”, e os mais jovens também, nos lembramos da pergunta que a rainha malvada fez ao espelho: “...existe no mundo alguém mais bela do que eu?”... irada com a resposta - “a Branca de Neve”- ela se transformou em bruxa e foi à caça da rival.... Vamos “geopolitizar” e dirigir esta mesma pergunta para o “espelho” da Ásia? Na disputa de poder na região, quem é a “bruxa má” e quem é a “mocinha”? Eu me faço esta pergunta ao ler a matéria – “China´s “Peaceful Rise” Vanishes in Thin Air” - que o scholar e político indiano Shashi Tharoor publicou recentemente no site “Project Syndicate” a propósito da intensificação dos enfrentamentos entre tropas india...
China vs Estados Unidos = Covid-19 vs Desglobalização
China, Estados Unidos

China vs Estados Unidos = Covid-19 vs Desglobalização

A matéria do Estadão de 31/5/2020 -“Pandemia faz acelerar rejeição à globalização” - levanta uma questão que está na cabeça da maioria dos analistas...e de todos nós: será a Covid-19 que devasta o planeta um ( o ) fator decisivo para o aprofundamento do processo de “desglobalização” da economia? E será que este processo é irreversível, ou apenas um hiato “nacionalista” que testemunha a resistência do sistema internacional ao que seria o processo de realinhamento do eixo geoeconômico em direção à Bacia do Pacífico, tal como insistem analistas mais radicais? Segundo a matéria, “o mundo já vinha experimentando políticas protecionistas e guerras comerciais ... Depois de atingir seu pico no início dos anos 2000, o comércio global e os investimentos diretos estrangeiros sofreram uma d...
Xi Jinping +/x Donald Trump e a Arte da Guerra
China, Estados Unidos

Xi Jinping +/x Donald Trump e a Arte da Guerra

“Disse o Mestre Sun:Na Guerra existem Cinco Passos:Medição,Estimativa,Cálculo,Comparação,Vitória.Medição;Medição determinaEstimativa;Estimativa determinaCálculo ;Cálculo determinaComparação;Comparação determinaVitória.”(Capítulo 4 – Formas e Disposições” / "A ARTE DA GUERRA" de Sun Tzu Bin Fa) Estes ensinamentos fazem parte do livro “A Arte da Guerra”, uma das mais importantes obras - senão a mais –sobre táticas de guerra jamais escritas. Seu autor, Sun Tzu, viveu no século V a.C., no período dos Reinos Combatentes, que precedeu a unificação da China pelo mítico Imperador Qin Shi Huan Di, em 221 a.C. Sun Tzu foi um general e estrategista a serviço do rei do estado de Wu, um dos que então disputavam a hegemonia da China, no final do século V a.C. Na verdade, o seus conc...
O Japão e a ameaça do Dragão Chinês
China, Japão

O Japão e a ameaça do Dragão Chinês

Mapa destacando China e Japão O site “Conexão Política” publicou no final do mês passado uma matéria sobre a crescente mobilização dos japoneses para desvincular a dependência do seu comércio dos chineses.Isto merece uma detida reflexão... Segundo a reportagem, o Primeiro-Ministro Shinzo Abe propôs “construir uma economia menos dependente de um país, a China, para que o Japão possa melhor evitar as interrupções da cadeia de suprimentos”. O mais recente álibi é a Covid19: Tóquio acusa Pequim, como vários outros países, aliás, de “manipular” a pandemia para consolidar sua hegemonia sobre o comércio mundial, “monitorando”, por exemplo, a venda e remessa de respiradores – setor que domina internacionalmente – e a assistência aos demais países baseada no seu (ainda) percebido êxito na lu...
O fim do Sistema Multilateral, que nunca foi multilareal
China, Estados Unidos, Rússia

O fim do Sistema Multilateral, que nunca foi multilareal

A Organização Mundial do Comércio não é uma instituição que foi criada na Conferência de Bretton Woods, em 1944. Mas é possível dizer que ela é resultante deste processo, na medida em que é resultado direto do Acordo Geral de Tarifas e Comércio (chamado de GATT), a partir da chamada Rodada Uruguai. Isso é importante considerar pois, juntamente com todo o Sistema da Organização das Nações Unidas, a OMC é um dos grandes símbolos do sistema multilateral. Desde o final da II Guerra Mundial os Estados vem buscando o caminho do multilateralismo como sua principal estratégia para interação internacional. O auge deste caminho ocorreu na década de 1990, marcada por importantes conferências internacionais (como Eco-92; Conferência de Viena sobre Direitos Humanos; Conferência do Cairo sobre p...