ISSN 2674-8053

Rússia

O preço dos alimentos, para além da guerra entre Rússia e Ucrânia
Europa, Rússia, Ucrânia

O preço dos alimentos, para além da guerra entre Rússia e Ucrânia

O preço dos alimentos está cada vez mais alto, e isso não apenas no Brasil, mas no mundo como um todo. As razões para isso são diversas e levam à necessidade de repensarmos a chamada “segurança alimentar”. A guerra entre Rússia e Ucrânia tem sido apontada como a grande culpada pelo aumento dos preços dos alimentos. Certamente ela tem um papel muito importante nisso, mas é apenas parte da história. No começo de 2020, com o avanço da pandemia do Covid-19 houve uma desestruturação das cadeias de suprimento internacionais, o que pressionou os custos. Na sequência os governos implementaram políticas fiscais e monetárias para diminuir as consequências da pandemia sobre suas populações, o que levou ao aumento dos preços de comodities, especialmente grãos e alimentos. Para se ter uma ideia...
Para além das armas nucleares: a importância das armas químicas e biológicas
Europa, Rússia, Ucrânia

Para além das armas nucleares: a importância das armas químicas e biológicas

A guerra entre Rússia e Ucrânia já ultrapassou a marca de seis meses e, tudo indica, ainda terá um longo tempo até que encontre a paz. Isso ocorre porque os avanços militares estão cada vez mais entrincheirados, lembrando os lentos movimentos que ocorreram na II Guerra Mundial. A alternativa para um possível fim mais abrupto para o conflito estaria na possível utilização de armas atômicas. Até o momento não parece provável que a Rússia utilize armas atômicas. No entanto, só a existência dessa possibilidade já deve abrir nosso olhar sobre algumas questões mais estruturais do mundo atual: qual o potencial de destruição acumulado no mundo? Como podemos controlar tanto esse potencial quanto o próprio uso? As armas atômicas são classificadas dentro de um grupo maior chamado de Armas ...
E la nave va… o BRICS
África, África do Sul, Américas, Ásia, Brasil, China, Europa, Índia, Rússia

E la nave va… o BRICS

Merece reflexão atenta o artigo intitulado “O Brics Numa Nova Etapa”, do Embaixador Rubens Barbosa, que o Estadão publicou no dia 17/07, no qual ele analisa a 14ª cúpula do BRICS, realizada em 23/ 24 de junho, no formato virtual, sob a presidência de turno da China. O tema do encontro - “Promover uma Parceria de Alta Qualidade e Inaugurar uma Nova Era para o Desenvolvimento Global” - trata das próximas ações do grupo neste momento particularmente complexo em que um dos seus membros, a Rússia, promove uma guerra contra a Ucrânia, que tem, por sua vez, como pano de fundo, a ameaça que Moscou entende sofrer de parte do Ocidente contra o “status quo” da região que fez parte do “império” soviético. Conforme assinalou o Embaixador, “o encontro buscou aumentar a parceria entre o grupo e a...
​​União Europeia planeja cessar uso de petróleo e gases russos
Europa, Organizações Internacionais, Rússia, União Europeia

​​União Europeia planeja cessar uso de petróleo e gases russos

Artigo elaborado por Maíra Figueredo Gomes e Marina Wohlers Ariboni A União Europeia planeja reduzir sua dependência do petróleo e gás russos em dois terços até o fim do ano e a zero até 2027, tendo em vista a guerra entre Rússia e Ucrânia e o desejo de aplicar sanções contra Putin para que haja uma possível cessação de agressões militares por parte da Rússia contra a Ucrânia. “O risco de estagnação também dependerá muito da duração da guerra”, disse o comissário econômico da UE, Paolo Gentiloni. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, também afirmou que irá propor um plano para eliminar gradualmente a dependência dos combustíveis fósseis russos. A Rússia é, atualmente, o maior exportador de petróleo do mundo e o maior exportador de gás para o continente europeu...
A construção de agendas internacionais: o papel do Movimento dos Países Não Alinhados
África, África do Sul, Américas, Ásia, Brasil, China, Europa, Índia, Rússia

A construção de agendas internacionais: o papel do Movimento dos Países Não Alinhados

Países membros (azul escuro) e observadores (azul claro) do Movimento Não Alinhado (2005). Durante a Guerra Fria o mundo foi estruturado em torno de dois grandes blocos: capitalista (liderado pelos Estados Unidos) e comunista (liderado pela União Soviética). Esses blocos formaram uma estrutura internacional conhecida por bipolar, na medida em que os blocos se mostravam antagônicos. Ao longo da Guerra Fria outras tendências importantes ocorreram, especialmente as lutas nacionais por independência, combate ao imperialismo e a busca por superação da pobreza em grande parte do mundo. Essas tendências acabaram por consolidar um grupo conhecido por Movimento dos Países Não Alinhados. Importante notar que não se tratou da criação de um terceiro polo e nem necessariamente da recusa da ex...
A Rússia, a Ucrânia, a China, a Paz de Vestfália e a tal da globalização
Ásia, China, Europa, Rússia

A Rússia, a Ucrânia, a China, a Paz de Vestfália e a tal da globalização

O que me instigou a tratar da miscelânea de temas acima foi uma matéria do professor ucraniano Andrei Kolesnikov, “Senior Fellow do Carnegie Endowment for International Peace”, publicada na última edição do “Project Syndicate”, intitulada “Putin Against History”, em que ele afirma que “Putin virou tudo de cabeça para baixo. Ele destruiu todas as conquistas das últimas décadas, incluindo a dele. Ele conseguiu exatamente o oposto de seus objetivos declarados: em vez de desmilitarizar a Ucrânia, ele fez com que o país se armasse como nunca antes; em vez de manter a OTAN longe, ele a trouxe até as fronteiras da Rússia; em vez de tornar a Rússia grande novamente, ele conseguiu transformá-la, e seu povo, em uma nação pária. Tentando impor sua versão da história da nação, ele a privou de sua...
O estremecimento das relações entre Itália e Rússia
Europa, Itália, Rússia

O estremecimento das relações entre Itália e Rússia

Artigo elaborado por Karen Laura Feliciano e Laura Cariolin Com o agravamento do atual conflito entre Rússia e Ucrânia, a União Europeia pediu aos seus países-membros para que aplicassem sanções contra a Rússia. Um país que foi fortemente afetado ao realizar esse pedido foi a Itália, visto que ela possuía fortes relações comerciais com o país russo, gerando uma crise na distribuição de diversos serviços e produtos. Um dos serviços mais afetados são os que tangem a distribuição de energia europeia, o que afeta principalmente o território italiano, que tinha a Rússia e os antigos países soviéticos como um dos seus maiores fornecedores de energia. Desse modo, é possível identificar abalos em suas relações. Em primeiro plano, é necessário compreender a antiga parceria entre Rússia e...
Rússia-Ucrânia: três meses e um mundo que só usa estratégias ultrapassadas
Europa, Organizações Internacionais, Rússia, Ucrânia, União Europeia

Rússia-Ucrânia: três meses e um mundo que só usa estratégias ultrapassadas

Número de sanções impostas pelos EUA e União Europeia sobre Rússia (2014-2018) Desde o começo de fevereiro de 2022 as tensões entre Rússia e Ucrânia aumentaram de forma significativa. Nesse momento, a quase totalidade dos analistas internacionais defendiam que não haveria conflito armado entre os dois países, resumindo tudo a uma jogada de poder por parte da Rússia. Em 24 de fevereiro de 2022 foi iniciado o conflito entre os dois países. Analistas, nesse momento, afirmavam que seria um conflito rápido no qual a Rússia logo assumiria o controle sobre a Ucrânia, impondo seus objetivos: impedir a entrada da Ucrânia na OTAN e na União Europeia. Hoje o conflito chega aos três meses de existência sem que haja uma clareza sobre quando e como será o seu fim. Ao que tudo indica ainda serão m...
Crise Migratória na Europa em 2015 e a relação com os refugiados da guerra entre Rússia e Ucrânia em 2022
Europa, Rússia, Ucrânia

Crise Migratória na Europa em 2015 e a relação com os refugiados da guerra entre Rússia e Ucrânia em 2022

Artigo elaborado por Maíra Figueredo Gomes e Marina Wohlers Ariboni Desde o início da invasão russa à Ucrânia, que ocorreu no dia 24 de fevereiro de 2022, é estimado pelo ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) que 3,5 milhões de pessoas migraram de seu país de origem para outros países da Europa. Dentre eles, mais de 2 milhões de pessoas teriam se deslocado para a Polônia, especificamente. A crise migratória decorrente da guerra está cada dia maior, e de acordo com a agência de migração da ONU, quase 6,5 milhões de pessoas foram deslocadas para outras regiões da Ucrânia. Ylva Johansson, chefe de migração da União Europeia afirmou que o bloco econômico está preparado de inúmeras formas para receber os refugiados, visto que aprenderam a lidar com esse assunto durante a crise migra...
Finlândia se prepara perante à ameaça de uma possível invasão russa
Europa, Finlândia, Rússia

Finlândia se prepara perante à ameaça de uma possível invasão russa

Artigo elaborado por Karen Andersson e Laura Rossi Os avanços da nação russa desde o dia 24 de fevereiro deste ano contra o território e povo ucraniano abalaram o planeta e principalmente os países próximos ao conflito. Desde o início da invasão, países vizinhos à Ucrânia como Polônia, Eslováquia e Romênia têm recebido um fortíssimo fluxo de refugiados e prestado ajuda humanitária. No entanto, é mais ao norte entre os países escandinavos onde vêm se consolidando ainda mais intensas preocupações a respeito das intenções futuras de Vladimir Putin após o mesmo ter feito inúmeras ameaças à Suécia e Finlândia e ter se mostrado intransigente perante às exigências das grandes potências e organizações internacionais. Os países nórdicos temem que possa vir a acontecer com eles o mesmo que v...