Brasil

Maior área de livre comércio no mundo pode não virar realidade
Américas, Brasil, Mercosul, Organizações Internacionais, União Europeia

Maior área de livre comércio no mundo pode não virar realidade

Autores: Ana Reis e Otávio Rauen O Acordo Mercosul - União Europeia, celebrado em junho de 2019, após mais de 20 anos de negociação, promete concretizar uma das maiores áreas de livre comércio internacional, com 780 milhões de consumidores, ancorada na redução de tarifas de importação-exportação, vinda do aumento tecnológico na produção. Contudo, a questão ambiental e sustentável tornou-se um impeditivo para tal concretização. (Globo Rural, 2019; Agência Brasil, 2019) O Brasil é o maior exportador de carne bovina do mundo, tendo como um de seu principal - e mais crescente - destino, a União Europeia. O bloco, contudo, é altamente exigente com a qualidade e quantidade de normas acerca da importação de carnes, o que eleva o preço pago por arroba. Como a pecuária europeia mostra-s...
China e Brasil: o velho e o moço
Américas, Ásia, Brasil, China

China e Brasil: o velho e o moço

Presidente chinês Xi Jinping com o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro em Brasilia, 13 de novembero de 2019. (Xinhua Photo) Seguindo a moda em voga no Brasil atual de discursar utilizando-se de metáforas relacionadas aos aspectos triviais e privados da vida humana, iniciemos por uma metáfora, porém, vamos a enriquecer com alguns conceitos e exemplos do longínquo oriente. É sabido que, em diversas fases da vida, nos deparamos com crises de circunstâncias diversas, umas leves, outras graves. Hoje, com 520 anos de história, o Brasil pode ser considerado uma jovem nação, diante dos 5000 anos que a China possui. Este jovem, tal como qualquer outro, enfrenta crises, só que nesse momento são crises intensas que dependendo de suas escolhas, definirão os rumos e os resultados do futuro. Nessa ...
O acordo entre União Europeia e o Mercosul
Alemanha, Américas, Argentina, Brasil, Europa, Mercosul, Organizações Internacionais, Paraguai, União Europeia, Uruguai

O acordo entre União Europeia e o Mercosul

Autores: Bruna Barrento e Maria Julia Zito No cenário sulamericano, o Mercado Comum do Sul (Mercosul) consiste em uma união aduaneira entre Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Nesse sentido, os integrantes desse acordo possuem tarifas externas comuns. Ao passo que no cenário europeu, a União Europeia consiste em uma união política e econômica com livre circulação de pessoas, serviços e capitais entre 27 economias da Europa. Acrescenta-se que tais uniões configuram uma relação majoritariamente econômica. Ademais, em 2019, a UE se apresentava como segundo maior parceiro comercial do Mercosul. Com isso, resolveu-se estabelecer uma macroestrutura para amparar a relação entre os dois blocos. Dessa forma desde 1999  iniciaram-se negociações acerca da elaboração de um acordo que f...
Parem de falar que estamos numa nova Guerra Fria
Américas, Brasil, Estados Unidos, Europa, Rússia

Parem de falar que estamos numa nova Guerra Fria

Charge postada no Global Village Space É comum vermos análises falando que estamos entrando numa nova Guerra Fria. Geralmente isso acontece a cada movimento mais incisivo feito pelo governo Chinês. Basicamente a ideia é que os Estados Unidos estariam em um polo de poder e a China viria para ocupar o polo oposto, questionando o poderio norte-americano. Ainda que possa ser verdade a questão das tensões em torno das projeções de poderes, é incorreto dizer que isso é uma Guerra Fria. O que foi a Guerra Fria? De uma forma mais superficial foi o embate indireto entre Estados Unidos e União Soviética (basicamente sustentado na corrida atômica). Em termos mais estruturais, a grande questão foi a competição entre dois modelos de organização político-econômica auto-excludentes. Em última i...
Os BRICS como um ensaio para o novo Bretton Woods
África, África do Sul, Américas, Ásia, Brasil, BRICS, China, Europa, Índia, Organizações Internacionais, Rússia

Os BRICS como um ensaio para o novo Bretton Woods

Foto: Divulgação/The Economist 2015 é um ano potencialmente importante para o posicionamento internacional brasileiro, foi quando foi criado o Novo Banco de Desenvolvimento (https://www.ndb.int/) pelos países formados do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). O Banco veio como uma alternativa aos já consolidados Banco Mundial (https://www.worldbank.org/en/who-we-are/ibrd) e Banco Interamericano de Desenvolvimento (https://www.iadb.org/pt/sobre-o-bid/visao-geral). Ainda que o primeiro também esteja sob forte influência europeia, ambos estão numa esfera de controle dos Estados Unidos. Em termos gerais, o Banco dos BRICS se foca no apoio ao desenvolvimento de obras estruturais, especialmente ligadas à infraestrutura. Por outro lado, tem também uma função política import...
De Pompeo à ONU, a difícil sustentação da ideia de não-interferência
Américas, Brasil, Estados Unidos, Organizações Internacionais

De Pompeo à ONU, a difícil sustentação da ideia de não-interferência

Foto William Volcov/Brazil Photo Press/Folhapress O desgaste da visita do Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, à Roraima só aumenta. No artigo O Brasil entra no jogo eleitoral dos EUA vimos as razões eleitoreiras da visita, agora vemos impacto sobre a própria política brasileira. Interessante observar um posicionamento tímido tanto do Ministério de Relações Exteriores quando da presidência do Brasil enquanto há uma grita de parlamentares de destaque. O presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia declarou que a visita "não condiz com a boa prática diplomática internacional e afronta as tradições de autonomia e altivez de nossas políticas externa e de defesa". No Senado Federal não foi diferente, a ponto da Comissão de Relações Exteriores ter aprovad...
Brasil entra no jogo eleitoral dos EUA
Américas, Brasil, Estados Unidos

Brasil entra no jogo eleitoral dos EUA

Foto: Jason Leysner/AFP Em 18/9/2020 o Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, fez uma rápida visita ao Brasil. Dada a importância do cargo era de se esperar uma agenda importante entre os governos dos Estados Unidos e do Brasil. Mas a realidade foi bem diferente: o governo brasileiro abriu as portas do território para que o Secretário pudesse fazer campanha política para a re-eleição do atual presidente Donald Trump. A visita se quer ocorreu em Brasília, onde poderíam ser adequadamente implementados todos os protocolos exigidos para um Secretário dos Estados Unidos (equivalente a um ministro, no Brasil). Também não serviu para as trocas de intenções ou mesmo assinaturas de acordos de cooperação. Foi uma visita inusitada à Roraima. Por que? Para compreender melhor a...
Brasil perde espaço para China na América do Sul
Américas, Argentina, Ásia, Brasil, China

Brasil perde espaço para China na América do Sul

Presidentes Jair Bolsonaro (Brasil) e Xi JinPing (China) O Brasil é um país com tamanho desproporcional em relação a seus vizinhos, especialmente em termos econômicos. O resultado disto é que o país acaba desempenhando "naturalmente" uma força gravitacional, fazendo com que os demais países sul-americanos acabem tendo suas economias muito dependentes com a economia brasileira. Essa condição não era diferente nem mesmo quando considerávamos a outra grande economia da região: Argentina. Historicamente os argetinos tinham no Brasil o maior destino de suas exportações. Em setembro e outubro de 2019 a China ocupou essa primazia, sendo o principal destino das exportações argentinas. Foi por uma diferença pequena e durou só esses dois meses, o que parecia ser algo transitório. Mas a rea...
Alinhar não é submeter – o estranho caso Brasil/Estados Unidos
Américas, Brasil, BRICS, Estados Unidos

Alinhar não é submeter – o estranho caso Brasil/Estados Unidos

President Donald J. Trump welcomes President Jair Bolsonaro of the Federative Republic of Brazil to the White House Tuesday, March 19, 2019 (Official White House Photo by Tia Dufour) Em diferentes ocasiões podemos ver como lideranças do governo brasileiro afirmam o alinhamento que buscam com os Estados Unidos. Do presidente Bolsonaro e seus filhos ao chanceler Ernesto Araújo, é possível ver declarações de como estamos alinhados e como isso trará benefícios ao país. Interessante notar que não conseguem expor quais benefícios teremos, reduzindo muito do discurso a uma visão ideológica superficial, na qual dizem que é a forma de evitar a esquerda. Muito deste posicionamento é resultante de uma visão mais limitada sobre o sistema internacional, percebendo os Estados dentro de uma dualid...
América Latina e BRICS: para onde o Brasil deve olhar
Américas, Brasil, BRICS, China, Estados Unidos

América Latina e BRICS: para onde o Brasil deve olhar

A política externa brasileira atual tem ocorrido erraticamente. Ainda que se defenda que ela busca novos alinhamentos, a verdade é que não tem uma linha clara, baseada na busca pelos interesses do país. Mas nem tudo é culpa da atual direção que é impressa à política externa, o mundo tem mudado e colocado novos desafios. Há muito a polaridade estruturante da Guerra Fria acabou. Desde então o mundo vem passando por importantes movimentos de reorganização das forças, forçando os Estados a buscarem posicionamentos políticos que lhes ofereçam mais retornos. Nos últimos 10 anos, em particular, essa busca por reordenamento do sistema internacional ficou ainda mais confusa. Hoje o dito sistema multilateral está mostrando limites cada vez maiores, ao mesmo tempo em que vemos algumas potências i...