Japão

Carta aos sinólogos
Ásia, China, Japão

Carta aos sinólogos

Muitos se questionam sobre o que é Sinologia, o que faz um Sinólogo, quem é considerado Sinólogo ou não e qual o propósito dessa carreira. Como nos ensina a própria Sinologia por meio de uma de suas famosas expressões chengyu: Dào Shān Xué Hǎi (道山学海), que numa tradução livre significa: o aprendizado é tão alto como a montanha e tão profundo como o oceano, porém, se fizermos uma análise literal, veremos que Confúcio, a quem foi atribuída essa expressão, associou Dào (道), o caminho ou doutrina à Shān (山) montanha. De forma que podemos depreender que o caminho para o conhecimento é alto como a montanha, que para alcançar o pico é necessário esforço, sendo assim algo cansativo e trabalhoso. E quando falamos de Dào (道) caminho, trazemos à baila, o Taoísmo, o Budismo Chinês e o Confucionism...
O Japão e a economia verde
Ásia, Japão

O Japão e a economia verde

O Primeiro-Ministro do Japão, Yoshihide Suga, anunciou ontem, 27 de dezembro, um plano para tornar o país livre de carbono até 2050 e alternativamente incentivar as empresas do setor de energia a paulatinamente se concentrarem no uso das energias renováveis e em hidrogênio. Suga prometeu alcançar zero emissões líquidas de carbono em 30 anos. Para isto, ele instou as empresas automobilísticas japonesas, de grande penetração em todo o planeta, a se “tornarem livres de carbono até 2030”. Como consequência, os veículos movidos a petróleo serão eliminados, segundo o governo, em cerca de quinze anos. Em contrapartida, tal iniciativa deverá gerar quase US$ 2 trilhões em negócios e investimentos “verdes”, como afirmou. Suga já havia anunciado este propósito num discurso político em outubro...
O Japão pós-Shinzo Abe (II): o novo líder
Ásia, Japão

O Japão pós-Shinzo Abe (II): o novo líder

Primeiro Ministro do Japão - Yoshihide Suga No artigo "O Japão pós-Shinzo Abe" (02/09/20), eu me referi à renúncia inesperada de Shinzo Abe ao cargo de Primeiro-Ministro do Japão, em 28 de agosto passado. Agora, gostaria de tratar com os amigos da questão da sua sucessão. Conforme mencionei anteriormente, com o fim do mandato Abe, que durou oito anos, encerrou-se o mais longo ciclo de estabilidade na governança do Japão contemporâneo; muito devido à sua liderança, que buscou imprimir sua marca pessoal na gestão, sobretudo no que toca a dois temas fundamentais. O primeiro foi seu esforço – frustrado - de revisar a rigidez pétrea do artigo 9º, da Constituição de 1947, - a “pacifista” - delineada pelos vencedores da II Guerra Mundial nos escombros nucleares de Hiroshima e Nagasaki, a...
O Japão pós-Shinzo Abe
Ásia, Japão

O Japão pós-Shinzo Abe

A súbita renúncia, alegadamente por motivos de saúde, de Shinzo Abe do cargo de Primeiro-Ministro do Japão, no dia 28 de agosto passado, antes do término do seu mandato, encerra um longo período no qual o país buscou reposicionar-se na região leste da Ásia e reencontrar o protagonismo que fora seu ao longo de grande parte da segunda metade do século passado até que a ascensão meteórica da vizinha China veio colocar desafios praticamente inalcançáveis para o governo e a sociedade japoneses, finalmente arrebatando do país a segunda colocação entre as maiores economias do planeta. A história pessoal de Abe-san se confunde com a do Japão do pós-guerra. Ele é o herdeiro de uma longa e influente linhagem de políticos. Seu avô materno, Nobusuke Kishi, tornou-se conhecido pela maneira bru...
Autoritarismo: a faca de dois gumes do Sudeste Asiático
Ásia, Bangladesh, Brunei, Camboja, China, Filipinas, Indonésia, Japão, Laos, Malásia, Myanmar, Singapura, Tailândia, Vietnam

Autoritarismo: a faca de dois gumes do Sudeste Asiático

PAD Demonstration. Sukhumvit Road. Bangkok. 20th October 2008. A palavra diversidade pode definir o Sudeste Asiático. São tantos dialetos, etnias, povos e religiões em apenas 4.100.000 km², que se torna consenso a singularidade da região e de todo o subcontinente. A China de Mao Zedong, é um padrão que se repete atualmente no Sudeste Asiático, quando o governo autoritário deu os primeiros passos para erradicar a miséria e homogeneizar a população criando os esteios da China contemporânea. O processo foi impulsionado por Deng Xiaoping, em 1979, ao iniciar o a abertura do país para o mundo. Como um espelho, o sudeste asiático, marcado por países tão culturalmente diferentes vem convergindo em um padrão intrigante: democracias frágeis, governos autoritários e o desenvolvimento geral da...
O Japão e a ameaça do Dragão Chinês
China, Japão

O Japão e a ameaça do Dragão Chinês

Mapa destacando China e Japão O site “Conexão Política” publicou no final do mês passado uma matéria sobre a crescente mobilização dos japoneses para desvincular a dependência do seu comércio dos chineses.Isto merece uma detida reflexão... Segundo a reportagem, o Primeiro-Ministro Shinzo Abe propôs “construir uma economia menos dependente de um país, a China, para que o Japão possa melhor evitar as interrupções da cadeia de suprimentos”. O mais recente álibi é a Covid19: Tóquio acusa Pequim, como vários outros países, aliás, de “manipular” a pandemia para consolidar sua hegemonia sobre o comércio mundial, “monitorando”, por exemplo, a venda e remessa de respiradores – setor que domina internacionalmente – e a assistência aos demais países baseada no seu (ainda) percebido êxito na lu...
Confúcio e o Corona Vírus
China, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Europa, Itália, Japão

Confúcio e o Corona Vírus

A man stands in a nearly empty street during the Chinese New Year holiday this week in Beijing, China. Getty Images Polemizando... Tempos bicudos os nossos, de controvérsias, “fake news”, antagonismos e, sobretudo, de muita incompreensão. Trancado em casa, li a matéria – “Uma guerra global” - que o cronista Lourival Sant´ Anna publicou no Estadão do dia 29/03 a respeito das divisões entre os países quanto às diferentes maneiras pelas quais eles estão enfrentando a tragédia. Ele fez a seguinte observação sobre como o leste da Ásia está conseguindo curvar a epidemia mais rapidamente que o Ocidente: “...não foi preciso obrigar a nada: o bom senso prevaleceu na população e seus líderes religiosos, que não resistiram a suspender suas atividades”... Por que isto está acontecendo? Es...
O jantar do “filho do Sol” com Amaterasu
Japão

O jantar do “filho do Sol” com Amaterasu

https://cdn.shopify.com/s/files/1/1042/6996/articles/Amaterasu-Omikami_800x.jpg?v=1566968228 Dia 14 de novembro o Imperador Naruhito completou o ritual de sua ascensão ao Trono do Crisântemo do Japão, substituindo o seu pai, Akihito. Ele passou a noite isolado numa casa de madeira degustando pratos de cada uma das regiões do país; simbolicamente ele estava jantando com a sua ancestral, Amaterasu, a “deusa filha do Sol”. Segundo a tradição, Naruhito é o 126º descendente do mitológico fundador do Império do Sol Nascente, o Imperador Jimmu, que teria vivido no século VI a.C. Jimmu é considerado o descendente direto da deusa. Entretanto, o registro histórico da dinastia remonta ao Imperador Ojin, que teria reinado no início do século V. A monarquia japonesa é a mais antiga - em continui...
Sociedade 5.0: o declínio populacional japonês e a robótica
Estudos, Japão

Sociedade 5.0: o declínio populacional japonês e a robótica

· Os fatores que levaram à redução da população A população japonesa em 2009 atingiu seu maior número de habitantes. Chegou a 127.340.884 milhões; desde então este número vem decrescendo. Decorridos apenas dez anos, 2019 já apresenta uma queda populacional de aproximadamente 2 milhões de pessoas. Isto causa um grande impacto na economia e na sociedade como um todo, devido à redução da população economicamente ativa e a consequente redução da mão-de-obra, e ao aumento da população idosa. O ex-ministro da saúde, Katsunobu Kato, anunciou que em 2017 nasceram apenas 946.060 crianças, o menor número registrado desde 1899. Em contrapartida, 1.340.433 japoneses faleceram. O escritório de estatísticas do Japão estima que a população diminuirá para 100 milhões, ...
O início do mundo incerto
Américas, Brasil, China, Estados Unidos, Índia, Japão, Rússia, Venezuela

O início do mundo incerto

Desde o final da II Guerra Mundial o mundo vem construindo um sistema com perfil multilateral. Iniciando com as instituições de Bretton Woods (Fundo Monetário Internacional - FMI; Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento - BIRD; e Organização Internacional do Comércio - OIC, logo substituída pelo Acordo Geral de Tarifas e Comércio - GATT), o que vimos foi a criação de diversas organizações e tratados internacionais capazes de orientar o comportamento dos atores internacionais nas mais diversas áreas. O ápice deste movimento ocorreu na década de 1990, período no qual houve uma série de conferências e tratados internacionais. Inaugurado pela ECO-92, foram tratados casos como mulheres, moradia, direitos humanos. Essas conferências mostraram ao mundo que a cooperação podia i...