ISSN 2674-8053

ONU

Brasil assume a presidência do Conselho de Segurança da ONU
ONU, Organizações Internacionais

Brasil assume a presidência do Conselho de Segurança da ONU

ONU News/Divulgação A partir de julho o Brasil assumirá a presidência rotativa do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Será o 11º mandato do Brasil à frente do Conselho de Segurança e ocorre num momento de muita tensão internacional. Mas, afinal, qual o papel do Conselho de Segurança atual? Questionamentos sobre a reforma da ONU como um todo e do Conselho especificamente fazem sentido? Para responder a estas perguntas e entender o papel do Brasil no Conselho é preciso, antes, entender um pouco a ONU e seu papel no mundo. A ONU foi criada após o fim da II Guerra Mundial e tinha como seu principal objetivo promover uma paz duradoura. Esforço semelhante foi feito ao final da I Guerra Mundial, com a criação da Liga das Nações, que não alcançou seu principal o...
Andando em Círculos – COP 26 e a União Europeia
ONU, Organizações Internacionais, União Europeia

Andando em Círculos – COP 26 e a União Europeia

Artigo elaborado por Priscila Cesarino Taddone e Pedro Gerhardt Corrêa Entre os dias primeiro e 12 de novembro de 2021, o mundo todo presenciou a ocorrência da COP 26, este ano, sediada em Glasgow, na Escócia. Estes encontros ocorrem periodicamente, desde 1995. Sua primeira edição aconteceu na Alemanha, na cidade de Berlim, a fim de firmar acordos de redução de gases de efeito estufa. Posteriormente, outra reunião notável foi a COP 3, em Kyoto, no Japão. Esta edição firmou o protocolo de de Kyoto, responsável por definir as metas de redução de GEE que cada país signatário deveria cumprir. Neste ano, as metas estabelecidas pela COP 26 foram principalmente relacionadas à diminuição de combustíveis fósseis, bem como à redução das áreas de desmatamento. Houve também pedidos a respei...
Mudanças climáticas (redução de emissões)
Mercosul, ONU, Organizações Internacionais, União Europeia

Mudanças climáticas (redução de emissões)

Artigo elaborad por Isabela Suzuki Paro e Pedro Silveira Soares As mudanças climáticas é um dos assuntos mais discutidos atualmente e que se encontra no topo da agenda internacional. O colapso ambiental que vem acontecendo é uma grande ameaça à saúde humana e coloca em risco o futuro de todos os seres vivos, principalmente em lugares onde as pessoas já não têm acesso ou estão excluídas dos cuidados básicos. Além das temperaturas desreguladas, falta de alimentos, furacões, tempestades, enchentes, secas, cidades ameaçadas pelo nível dos mares, poluição de águas e ares, as mudanças climáticas podem levar a desenvolver até novas pandemias. Segundo o relatório do painel intergovernamental sobre mudanças climáticas, os impactos climáticos devastadores podem se tornar reais nos próximos 3...
Energia Limpa
ONU, Organizações Internacionais, União Europeia

Energia Limpa

Artigo elaborado por Helena Francesconi e Maria Cerdeira A transição para matrizes sustentáveis de energia é uma tendência mundial que, conforme a Agência Internacional de Energia Renovável, deve continuar. Os relatórios do Estado da União da Energia, compartilhados pela Comissão Europeia, mostram que em 2020 as fontes de energias renováveis se destacaram na União Europeia ao se tornarem protagonistas frente aos combustíveis fósseis. Esse movimento de preocupação com o meio ambiente na Europa só tende a se ampliar, através das políticas e investimentos nesse tipo de energia, para atingirem seus objetivos e caminharem em direção a um desenvolvimento consciente. Energia limpa é a produção de energia sem proporcionar malefícios ao meio ambiente, sem emitir gases para a atmosfera que po...
A mudança climática e os financiamentos da UE
ONU, Organizações Internacionais

A mudança climática e os financiamentos da UE

Artigo elaborado por Luiza Minuci e Patrizia Setton Durante a COP26, conferência da Organização das Nações Unidas sobre o clima, que ocorreu em novembro de 2021, no Reino Unido, a União Europeia tomou a decisão de aumentar o financiamento de combate às mudanças climáticas para 168,7 bilhões de euros. Desde setembro, a UE planejava trazer à tona a questão em Glasgow, já que os países ricos, os quais prometeram em 2009 fornecer 100 bilhões de dólares anualmente em função do financiamento climático, até hoje não cumpriram suas promessas. ​Durante uma reunião no dia 15 de setembro deste ano, o bloco europeu apelou aos Estados Unidos, para que juntos se comprometessem a ajudar financeiramente os países mais pobres a lidarem com as questões climáticas. "Mas esperamos que os Estados Un...
O tal do poder (II): os Estados nacionais, a Paz de Westphalia e a globalização
Europa, ONU, Organizações Internacionais, Rússia, Ucrânia

O tal do poder (II): os Estados nacionais, a Paz de Westphalia e a globalização

Sala do Conselho de Segurança da ONU (Foto de Mark Garten) Polemizando, ainda, a respeito da tragédia da Ucrânia... Em meados do século XVII, os impérios europeus estavam envolvidos numa disputa religioso-territorial que durava já trinta anos, a qual a História registrou como “a Guerra dos Trinta Anos”(1618-1648), como recordamos. A chamada “Paz de Westphalia” foi contruída em dois tratados assinados em outubro de 1648, nas cidades de Osnabrück e Münster, na Alemanha, encerrando os violentos combates que vitimaram cerca de oito milhões de pessoas. Estes tratados puseram fim à guerra que envolveu, de um lado, os Habsburgos, governantes da Áustria e da Espanha e seus aliados católicos e, de outro, as potências protestantes, a Suécia e certos principados aliados, juntamente com a Fr...
O tal do poder (I): Conselho de Segurança da ONU
Ásia, China, Europa, Índia, ONU, Organizações Internacionais, Rússia, Ucrânia

O tal do poder (I): Conselho de Segurança da ONU

As tropas russas entraram em Kiev, no dia 25/02. Sirenes de ataques aéreos foram ouvidas por toda a cidade e hoje acompanhamos consternados as notícias e as imagens que os meios de comunicação de todo o mundo divulgaram sobre a tragédia que se abateu sobre a Ucrânia. O Conselho de Segurança discutiu na véspera uma resolução condenatória, ainda que ciente de que não poderia implementá-la devido à oposição da Rússia que, como membro permanente do Conselho tem o direito de veto. O capítulo da Carta da ONU considerado, inicialmente, foi o VII - artigos 39 a 51 -, que elenca medidas escalonadas a serem adotadas no caso de ameaça à paz, quebra da paz e atos de agressão. Na redação da proposta original, o CSNU teria “lamentado em termos severos a agressão da Federação Russa como uma viola...
Responsabilidade das empresas europeias relacionadas ao ambiente
ONU, Organizações Internacionais, União Europeia

Responsabilidade das empresas europeias relacionadas ao ambiente

Artigo elaborado por Giulia Ornellas e Vitor Saatkamp Levando em consideração o crescimento econômico global, juntamente com o avanço das indústrias e tecnologias, uma nova preocupação surge em relação ao meio ambiente, considerando que a exploração de recursos naturais aumenta significativamente, enquanto os mesmos se tornam escassos. De acordo com o especialista em mudanças climáticas da ONU Meio Ambiente, Niklas Hagelberg, “a extração de materiais é um dos principais responsáveis pelas mudanças climáticas e perda da biodiversidade - um desafio que só vai piorar, a não ser que o mundo empreenda urgentemente uma reforma sistemática do uso de recursos” .(AMDA, Constituição 1981).  Nesse sentido, diversas leis ambientais foram criadas, voltadas não só par...
Como os britânicos veem seu papel no mundo em 2030 – e como estão se preparando para exercê-lo
África, Américas, Argentina, Ásia, China, Europa, Nigéria, ONU, OTAN, Reino Unido

Como os britânicos veem seu papel no mundo em 2030 – e como estão se preparando para exercê-lo

O Reino Unido acaba de divulgar um documento cuja leitura considero muito importante, fundamental mesmo, para quem se dispõe a compreender o jogo que as grandes potências estão a disputar na arena internacional. Nele, são apresentadas as revisões das políticas integradas de defesa e segurança, relações internacionais e desenvolvimento da Grã-Bretanha [1]. O documento tem, na introdução, a visão do Primeiro-Ministro Boris Johnson para o Reino Unido no ano de 2030. Em resumo, trata-se de uma visão otimista sobre o papel de seu país no mundo, que enxerga o Reino Unido como uma das mais influentes nações do planeta, com uma economia forte e que, em razão da ênfase na adoção de inovações científicas e tecnológicas, estará mais bem equipada para enfrentar um mundo ainda mais competi...