ISSN 2674-8053

Américas

Venezuela: o próximo Iraque da América Latina?
Américas, Brasil, Estados Unidos, Venezuela

Venezuela: o próximo Iraque da América Latina?

Analisar a crise venezuelana nos dias de hoje é algo difícil pois acabamos em discussões político-ideológicas. Mais do que entender o que se passa no país, fatalmente as discussões giram em torno do apoio ou da crítica ao presidente (?) Nicolás Maduro. Mas a questão é mais profunda e uma resposta definitiva não vem fácil. É certo que a mídia brasileira, bem como o próprio governo do Brasil, claramente defendem a saída imediata de Maduro para que assuma, em seu lugar, o opositor Juan Guaidó. Aparentemente a questão seria simples: Maduro sai, Guaidó assume o poder, restabelece a ordem na Venezuela e tudo volta ao normal. No entanto, quando olhamos outros exemplos próximos, vemos que é muito mais complicado do que isto. Pensemos no Iraque quando o presidente Bush resolveu invadir. O ...
Trump e a destruição do sistema multilateral
Estados Unidos

Trump e a destruição do sistema multilateral

Em 1987, ainda no calor da Guerra Fria, um importante passo foi dado para que as tensões globais diminuíssem e parassem de ameaçar a Humanidade. Neste ano os governos dos Estados Unidos e da então União Soviética assinaram o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário. (mais…)
Os chineses, o setor elétrico, a tecnologia… e o Brasil
Américas, Brasil, China

Os chineses, o setor elétrico, a tecnologia… e o Brasil

O apetite dos chineses pelo setor elétrico brasileiro, e pelo Brasil, já não é nenhuma novidade. Com os trilhões de dólares de que dispõem para investir no exterior, já há algum tempo nos tornamos um dos pontos focais do interesse deles. Haja vista a que no período de 2014 a 2017 o Brasil tornou-se o segundo maior destino dos investimentos sínicos (com s...) em todo o mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. (mais…)
Bolsonaro e o fim da política externa brasileira
Brasil

Bolsonaro e o fim da política externa brasileira

O Projeto Eleições Brasil 2018 vai apresentar uma reflexão sobre as propostas de política externa dos principais candidatos à presidência. As análises apresentadas se baseiam tanto nos programas de governo, quanto em declarações feitas pelos candidatos(as) na grande mídia. (mais…)
E La Nave Vá II – nós e eles
China, Estados Unidos

E La Nave Vá II – nós e eles

Nestes últimos dias assistimos ao que parece revelar de maneira cada vez mais clara a confrontação que se está formalizando entre os países centrais do Ocidente - EUA e União Europeia - e aqueles que reclamam maior protagonismo na geoeconomia pós-industrial, e defendem, como condição "sine qua non", a primazia do multilateralismo no comércio internacional. (mais…)
E la nave va…
China, Estados Unidos

E la nave va…

A "quebra de braços" comercial entre chineses e americanos terá como um dos principais resultados a aceleração das pesquisas e investimentos que os chineses estão realizando para catapultar a República Popular a um patamar superior na esfera de alta tecnologia, em nível mundial. (mais…)
A guerra comercial e a pós-Modernidade
China, Estados Unidos

A guerra comercial e a pós-Modernidade

O acirramento da disputa comercial EUA X RPC toma contornos mais temerários com o anúncio de tarifas que o governo de Washington irá impor às importações de produtos procedentes da China, no valor aproximado de US$ 50 bilhões. Aguardam-se as retaliações de Pequim... (mais…)
Os brasileiros e a Jihad
Américas, Brasil

Os brasileiros e a Jihad

A matéria "MPF acusa 11 brasileiros de promover Estado Islâmico" que o Jornal do Brasil replica do Estadão de hoje, de autoria de Tulio Kruse, levanta um tema sobre o qual nós pouco nos debruçamos até agora. (mais…)
A energia, o Brasil, a China… e o planeta
Américas, Brasil, China

A energia, o Brasil, a China… e o planeta

A notícia de que a empresa estatal chinesa "State Power Investment Corporation Overseas - Pacific Hydro" / Spíc venceu o leilão da usina hidrelétrica de São Simão, que fica na fronteira de Goiás e Minas Gerais, confirma o crescente interesse dos chineses pelo nosso setor de energia. Por esta transação ela pagou US$ 2,25 bilhões, e já anunciou que planeja continuar investindo igualmente nas áreas de energia eólica e solar. (mais…)